Portaria 666

"Prender e extraditar Glenn não vai parar com os vazamentos do Telegram. Pelo contrário. Vai torná-los ainda mais essenciais para a democracia e o Estado de direito, esse que Moro, para se safar, pretende solapar", avalia o jornalista Leandsro Forts, do Jornalistas pela Democracia

Sérgio Moro presta depoimento à CCJ do Senado
Sérgio Moro presta depoimento à CCJ do Senado (Foto: Pedro França/Agência Senado)

Por Leandro Fortes, para o Jornalistas pela Democracia

Baixou o anticristo no Ministério da Justiça.

Em uma ação desesperada, Sérgio Moro assinou uma portaria para viabilizar a prisão e deportação de Glenn Greenwald, do Brasil. 

Assim, na cara da Justiça, cagando e andando para a Constituição Federal, o ex-juiz decidiu legislar sobre a liberdade de expressão e os direitos de cidadania. 

Em pânico com as revelações do The Intercept Brasil, ele decidiu se livrar do mensageiro. É uma ação grotesca e inútil. 

Prender e extraditar Glenn não vai parar com os vazamentos do Telegram. Pelo contrário. Vai torná-los ainda mais essenciais para a democracia e o Estado  de direito, esse que Moro, para se safar, pretende solapar.

O País espera que o Supremo Tribunal Federal barre essa marcha da insensatez.

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247