Projeto Âncora pede socorro

O Projeto Âncora é uma conquista desta liberdade e da busca por igualdade. Por isso, é tão importante sua manutenção e sua construção

“Si eu tivesse di vivê obrigado,
um dia antes dêsse dia eu morro”
  Xangai – Violero

A escola Projeto Âncora está prestes a fechar, mas podemos ajudar a evitar que isso aconteça. Todos os lutadores do povo e pessoas que acreditam na educação como fonte que leva à construção da liberdade e da igualdade precisam ficar incomodados com essa possibilidade e ajudar a evitar que isso aconteça.

A liberdade é pressuposto da vida. Vida sem liberdade, não é vida! Isso é tão caro e importante que nossa Constituição, quando fala sobre os direitos fundamentais da pessoa humana, põe na seguinte ordem os direitos inalienáveis, que são cláusulas pétreas.

Todo brasileiro, ou estrangeiro residente em nosso país, tem assegurados o direito à VIDA, à LIBERDADE, à IGUALDADE, à SEGURANÇA E à PROPRIEDADE.

Por óbvio, a vida é a condição elementar para que possamos ter direitos. Então, uma vez tendo vida, o primeiro de todos os direitos que é inerente a condição humana, é a liberdade. E é sobre liberdade que quero falar.

As nossas lutas cotidianas animam nossa caminhada em busca das conquistas do dia a dia. Por isso, a terceira condição constitucional está na busca pela igualdade, no sentido de que são estas lutas que nos levam a compreender a necessidade da igualdade entre os seres humanos para que haja justiça e paz social.

O Projeto Âncora  é uma conquista desta liberdade e da busca por igualdade. Por isso, é tão importante sua manutenção e sua construção. O Projeto Âncora é uma instituição reconhecida mundialmente. Após as sucessivas crises políticas que geraram instabilidades econômicas pelas quais passam nosso país, a manutenção do Projeto Âncora pela iniciativa privada, foi ficando cada vez mais difícil e, agora, a escola mantida pelo Projeto Âncora está prestes a fechar.

A liberdade é a grande marca da Escola do Projeto Âncora, que encontrou num formato próprio de pedagogia, que lembra muito o modelo dos países escandinavos como Finlândia e Dinamarca, uma forma diferente de aprender. É essa liberdade que está sendo posta à prova. A tradição e a cultura impõem um modelo educacional que está mais que reprovado, onde os estudantes estão cada vez mais distantes da assimilação do conteúdo dado.

Esse fenômeno está sendo respondido com cada vez mais violência nas escolas, cada vez mais crianças e adolescentes depressivos e ansiosos. Nossas crianças e jovens, não veem sentido em ter que competir desenfreadamente por uma nota 10, em estudar para uma prova cujo conteúdo, certamente não lhe será útil em nenhum momento no futuro de suas vidas. Em ter que ficar dentro de uma sala de aula por 4 a 5 horas, como se estivessem numa linha de produção de uma fábrica do século passado.  

Pode se dizer, sem medo de errar, que o Âncora é o futuro da escola humana. O Âncora se tornou uma referência pedagógica nacional e internacional porque INOVOU de forma não artificial. A inovação que o Âncora se propôs a fazer é colocar o aluno como protagonista do aprendizado. E o que significa isso na prática?

Significa que os alunos são livres! Significa que o processo de criação do indivíduo é de fato respeitado e que o foco não está na sala de aula, nem no professor, nem na direção da escola. O foco é o aluno, de fato. É a partir da liberdade deste aluno em aprender e compreender o mundo ao seu redor que o aprendizado vai se concretizando.

Isso pode parecer loucura para muitos, mas para quem vive e convive com os alunos do Âncora, sabem que este modelo cria no indivíduo uma capacidade ímpar de liberdade, de acreditar em si próprio e, principalmente, de aprender a aprender. Assim, não é a apostila, a cartilha, o método pastel de feira (com todo respeito ao pastel de feira), onde sabemos do que se trata, onde quer que se vá. No método pastel de feira, pode até haver um ou outro sabor no recheio, mas não deixa de ser a mesma coisa dos outros lugares.

A escola do Projeto Âncora não pode fechar. Empresários, governantes, sociedade civil organizada e indivíduos que acreditam na utopia e na liberdade que constrói a igualdade: o Âncora pede socorro. Uma das formas que encontramos para conseguirmos continuar, é uma contribuição de R$ 20,00 (Vinte Reais) mensais. Se conseguirmos fazer com que as pessoas se engajem, que se importem com o futuro e com uma experiência rica e importante como esta, que façam sua contribuição.

NÓS ACREDITAMOS!

Acreditamos que a escola é espaço privilegiado de interação, de capacitação e de convívio que gerará cidadãos preparados para ajudar a salvar a humanidade! Se essa escola for produtora de gerações que se importem com seus semelhantes, então, pouparemos a humanidade da catástrofe iminente que se avizinha em razão deste modelo excludente, competitivo e individualista. O caminho é o amor ao próximo, a solidariedade e o convívio caridoso e acolhedor.

São estes conceitos que norteiam a Comunidade de Aprendizagem Âncora. O Projeto Âncora acredita que a escola deve formar cidadãos autônomos, responsáveis e democraticamente comprometidos com um projeto de sociedade, baseado em cinco valores que são a marca e a alma de sua pedagogia. São eles AFETIVIDADE, HONESTIDADE, RESPEITO, RESPONSABILIDADE E SOLIDARIEDADE.

São estes conceitos que nos fazem acreditar que um outro mundo e uma outra escola é possível e isso está sendo demonstrado na prática nesta escola.

P.S: Faça esse texto chegar ao maior número de pessoas possíveis!

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247.Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247