Queiroz não vai delatar Bolsonaro

"Se Queiroz delatar, não vai delatar só os Bolsonaro, mas as milícias do Rio de Janeiro, o Ministério Público não o soltaria por menos. Que vantagem levaria nisso? A liberdade das ruas. Mas conseguiria dormir tranquilamente? Tanto ele quanto a mulher e as filhas?", questiona Alex Solnik, do Jornalistas pela Democracia

Fabrício Queiroz
Fabrício Queiroz (Foto: Reprodução/SBT)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Alex Solnik, do Jornalistas pela Democracia

Não acredito nessas histórias que circulam de vez em quando de que o ex-PM Queiroz vai delatar Bolsonaro. Quem chega a esse extremo só o faz como último recurso, principalmente quando é alguém do submundo do crime, como é Queiroz. Eles obedecem ao mesmo juramento de lealdade da máfia. Dedurar é pior que matar. E a pena para quem dedura é a morte.

Tem que ver que se Queiroz delatar não vai delatar só os Bolsonaro, mas as milícias do Rio de Janeiro, o Ministério Público não o soltaria por menos.

Que vantagem levaria nisso? A liberdade das ruas.

Mas conseguiria dormir tranquilamente? Tanto ele quanto a mulher e as filhas?

Convido a uma reflexão.

Enquanto sua mulher estiver foragida é evidente que o melhor para ele é ficar quieto; caso contrário, tanto a segurança dela quanto a das duas filhas dele ficaria comprometida.

Mesmo em caso de ser presa, eu acho que os advogados deles vão ponderar que valerá mais a pena para eles puxar algum tempo de cana do que ir pra rua carimbados como dedos-duros. Não haveria segurança que os protegesse.

A realidade é que, apesar de ser a caixa-preta dos Bolsonaro e ter potencial para causar um estrago, Queiroz depende muito mais dos Bolsonaro que os Bolsonaro dele. Ele conhece Bolsonaro melhor do que qualquer um de nós e sabe que é melhor ser seu amigo que inimigo.

Delação premiada não seria um prêmio, seria um castigo para Queiroz.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247