Queiroz veste rosa e samba na cara do ministério público

O vídeo, no qual o ex assessor de Flávio Bolsonaro aparece alegre e gazelante, é um tapa na cara daqueles que acreditam que o PT inventou a corrupção. Sabem de nada, inocentes. Ou fingem não saber. Vai um suco de queiroz aí?

Queiroz veste rosa e samba na cara do ministério público
Queiroz veste rosa e samba na cara do ministério público (Foto: Nando Motta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Queiroz, o motorista mais “veloz” dos últimos tempos, estava internado no hospital Albert Eisntein, para tratamento de um tumor no intestino. Ele é o único motorista no Brasil, que tem condições financeiras para  tratar-se no referido hospital. Talvez, por isso, ele tenha gravado um vídeo dançando efusivamente em companhia de seus familiares, erguendo o suporte onde coloca-se o soro como estandarte, fazendo o débil gesto de “arminha” com a mão e vestido de rosa. Pode isso, ministra Damares?

Queiroz tem mesmo muito o que comemorar. Além de ser um bem sucedido vendedor de carros usados, que movimentou mais de 1 milhão de reais em sua conta, ele também é um dos poucos cidadãos brasileiros que desafiaram a autoridade do Ministério Público, não comparecendo quando intimado pelo mesmo, e que não foi punido por isso. Está na hora do neologismo nosso de cada dia, adotar o “queiroz”, como expressão idiomática ou gíria, que define alguém ou algo pouco confiável ou de origem duvidosa.

Quando alguém disser: “Esse cara é puro Queiroz”,  estará se referindo a um sujeito trapaceiro e enganador. O antigo 171. O dialeto pajubá poderia adotar o “Fazer o Queiroz”, para definir o cara que finge que é hétero, mas tem um caso secreto com o melhor amigo.  “Isso é caô!”, pode virar “Isso é queiroz!” São infinitas as possibilidades em nosso vocabulário. Poucas mesmo, são as probabilidades de punição, para tamanho escárnio com a cara do povo brasileiro. Principalmente, para com quem acreditou que a mamata iria acabar, com a eleição do último honesto da política brasileira.

Queiroz está sambando na cara da sociedade. É a certeza da impunidade. O novo governo acredita que somos todos um bando de idiotas, incapazes de raciocinar. Talvez, estejam julgando-nos por eles mesmos. Alguns dias no poder, já foram o bastante para evidenciarem a incompetência e o despreparo que pontuam as suas atitudes e decisões. Não à toa, o presidente eleito muda de ideia do dia pra noite. Não há convicção sobre o que se diz. Não pensa-se antes de dizer. Como o Brasil pode ser governado por um grupo de pretensiosos, que não sabem nem por onde, nem como e nem quando começar?

Por sorte, estão aparelhados com a Justiça do Juiz super herói de Curitiba. Isso garantirá que nada os aconteça. Podem aplicar o Queiroz à vontade no povo brasileiro, que o senhor deus do judiciário há de conceder-lhes o perdão eterno, para as suas faltas e transgressões. São Onyx Lorenzoni que o diga. Se antigamente tudo acabava em pizza, agora tudo promete terminar em laranjada. E com a benção dos eleitores do mito, que até o momento, estão omissos diante de tudo que está vindo à tona. Comportamento que não combina nem um pouco, com aqueles que desejavam o fim da corrupção.

A minha curiosidade é saber até quando os “cidadãos de bem” desse país, irão conseguir esconder a sua decepção com o falso messias? Até quando continuarão fingindo que está tudo bem? Ou era esse mesmo, o Brasil que eles queriam de volta? Não há dúvidas de que estamos resgatando as nossas tradições. O conservadorismo, que sempre personificou o que há de mais inculto, no esgoto oculto da mentalidade subourbon da nossa direita elitista, agora sente-se à vontade para desfilar a sua hipocrisia sem máscaras. Tudo isso, graças ao presidente que ajudou  a eleger.

Alguém que, assim como eles, nunca esteve preocupado com o combate a corrupção. Apenas queria assumir o poder, para poder determinar como e por quem, a corrupção pode ser praticada. Afinal, em 500 anos de história, foi a direita quem mais esteve no poder. A ela podemos atribuir tudo o que de mais Queiroz, digo, suspeito, já aconteceu por aqui. O vídeo, no qual o ex assessor de Flávio Bolsonaro aparece alegre e gazelante, é um tapa na cara daqueles que acreditam que o PT inventou a corrupção. Sabem de nada, inocentes. Ou fingem não saber.

Vai um suco de queiroz aí?

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247