Quem são os deputados inimigos dos animais

A causa animal nos deve abrir os olhos não só para os votos a prefeito, governador e presidente, mas também na importância do voto a vereadores, deputados e senadores. São eles que legislam as leis de defesa animal. A premissa é entender que partidos como MDB, PSDB, PSL, PPS, PDT, NOVO, REDE são partidos ligados ao agronegócio: bancada do boi



O PL 31/2018 é um projeto de lei do deputado federal Feliciano Filho (PRP) que visa à proibição do embarque de carga viva nos portos de São Paulo. Nestas cargas, bovinos em pé, muitos deles fraturados e pisoteados entre fezes e contaminação, são dispostos aos milhares em navios que percorrem 20 dias ou mais, saindo do Brasil rumo a países como Egito, Iraque, Jordânia, Líbano, Turquia, numa travessia que polui o meio ambiente e inflige aos animais extrema crueldade.

Embora já tenha sido constatada a crueldade e os impactos ambientais através de laudo veterinário representado em uma liminar que determinou a suspensão da exportação de animais vivos em todo o Brasil, os ruralistas recorreram da decisão para dar continuidade à prática.

Apesar da forte pressão de ativistas pelo direito dos animais por cinco semanas em protestos dentro da Assembleia Legislativa de São Paulo, o presidente da Alesp, Cauê Macris (PSDB), é apontado como principal agente responsável por manobras para que fosse protelada a votação, juntamente com o segundo personagem, o deputado Itamar Borges (MDB), que suspendeu a votação, adiando-a para após as eleições. Acontece que a bancada do boi fará de tudo para avançar com o agronegócio, caso ganhem as eleições. E isso inclui a vitória de Bolsonaro nas eleições para a presidência da república; portanto, aos defensores dos animais, todo cuidado é pouco.

As bancadas de deputados do PT e do PSOL estavam favoráveis à aprovação do PL 31, e, em vídeo captado pelos próprios ativistas, os deputados favoráveis à votação explicaram que se trata de um golpe de Cauê Macris (veja aqui).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Só existe um culpado por essas manobras: Cauê Macris. Na semana que ele saiu, colocaram a Analice e a coisa andou um pouco. Em seguida ele voltou e inviabilizou tudo! Isso que eles fizeram foi um puta de um golpe pra não votar o 31. E vocês sabem por que eles não querem votar o 31, né? Tem forças muito grandes por trás disso. Agora, mais uma vez, o responsável não é só o Itamar Borges (MDB) - também o Itamar que jogou a votação pra depois das eleições -, mas existe um responsável maior que comanda esse "navio", ele chama-se Cauê Macris. Ele poderia muito bem pautar no dia de hoje, como ele sempre faz, quando não tem acerto, passa uma semana, duas, ele pauta numa extra que é prerrogativa dele e deixa correr. Pois bem, depois das 5 semanas em que os ativistas estão lutando, era razoável que ele pegasse uma extra por dia e pautasse o PL 31. Tem que dicutir 6 horas, ele não colocou a discussão em nenhuma hora sequer. Saibam que foi premeditado, foi manobrado, foi preparado para dar esse golpe em cima do 31", disse o deputado federal do PT, Ênio Tatto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Nós ficaremos aqui obstruindo. Não vota nada! Enquanto não houver votação do 31, não haverá votação nenhuma. Só que o problema é que os bois estão sendo embarcados. Eles falam "deixa pra depois", como se não houvesse sofrimento. Nós estamos falando de sofrimento animal. Tem que parar o embarque pra discutir isso. O que não dá é que parar aqui (no estado de São Paulo) e não parar lá (nós demais portos do Brasil)", disse o deputado Feliciano Filho.

Cauê Macris é hoje o maior inimigo dos animais. A arroba do boi é 25% mais cara no estado de São Paulo; isso faz com que ruralistas desloquem os animais em cruéis longos percursos saindo de estados nas extremidades para o centro-este do país - inclusive membros da própria Alesp com fazendas do agronegócio.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Tudo isso nos alerta para que a causa animal abra os olhos não só para os votos a prefeito, governador e presidente, mas também na importância do voto a vereadores, deputados e senadores. São eles que legislam as leis de defesa animal. A premissa é entender que partidos como MDB, PSDB, PSL, PPS, PDT, NOVO, REDE são partidos ligados ao agronegócio: bancada do boi.

- Cauê Macris:

- Dono de churrascaria e frequentador de festas que envolvem crueldade animal:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cauê Macris é frequentador assíduo de rodeios. Fotos em diversas festas do peão comprovam a presença do político nos eventos. Cauê esteve, ao lado do pai, o deputado estadual Vanderlei Macris (PSDB), no 9º Itanhaém Rodeio Festival, realizado pela Federação de Rodeio do Estado de São Paulo.

Sua esposa, Leticia Worschech Macris, é sócia da Churrascaria União, em Limeira, no interior de São Paulo. Já o pai de Cauê, o deputado Vanderlei Macris, foi o responsável, em julho de 1999, pela Lei Nº 268/8, que regulamenta o rodeio em todo o estado de São Paulo. O comunicado sobre a lei foi feito na 44ª Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos.

- Itamar Borges

Fonte: aqui

O deputado Itamar Borges foi investigado pela Polícia Federal por manter relações estreitas com o narcotráfico libanês. Segundo fontes publicadas no portal do Grupo Bom Dia, 4 Cantos e Diário da Região, as drogas eram camufladas em cargas de porcelanato em navios que saiam do porto de Santos com destino ao Líbano.

Fonte: Bom Dia

Jornal 4 Cantos

Diário da região

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email