Questões de um começo cheio de esperanças

Quero alunos inquietos e curiosos que me desafiem. Eles podem ser carentes, não ter base, mas têm curiosidade e querem aprender

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Essa semana foi muita rica para mim pedagogicamente. Apesar de já ser véspera de carnaval, consegui dar aulas para duas turmas na escola em que dou aula da rede estadual.

Meus alunos são adoráveis. Digo isso, pois os olhos fascinados com cada palavra que digo e até a agitação comum que lhes é característica da idade me faz a cada entrada em sala me sentir desafiada.

Estou introduzindo conceitos iniciais de química e eles respondem de forma muito natural, sincera e questionadora a tudo. E dentro dessas questões apresentadas que me inquieto junto a eles, pois muitas dessas perguntas surgidas ainda de forma desordenada e infantis, pois vieram do Nível Fundamental e muito ainda falta para que eles consigam organizar suas ânsias e realmente saberem até construir suas dúvidas e externa-las ao professor.

Ao falar de um panorama geral da história das ciências, da química, comecei a falar de filosofia, alquimia e acabei estimulando um aluno e ele me indagou coisas do tipo: "Se somos provenientes de uma explosão, como tudo é tão bonito e organizado? Não tem Deus no meio disso tudo?", "Se o universo é negro, porque o céu é azul ou cinza de dia?", "Existe planeta quadrado, professora?"

Foram questões, mesmo pueris, desordenadas que surgiram em série e em uma velocidade incrível.

Estou pensando em analisar as redações de meus alunos que pedi sobre "O que para você é a química" e estudar o que eles trazem do Nível Fundamental e do senso comum com eles, pois vi algumas coisas muito interessantes no ponto de vista da investigação do processo deles de aprendizado.

Averiguei que há interesse, sim, mas eles acham a linguagem do professor muito distante da deles.

Já voltando e fechando esse parênteses, pensando no meu aluno das questões... Quero mais, quero todos os alunos como ele. Quero alunos inquietos e curiosos que me desafiem.

Eles podem ser carentes, não ter base, como muitos afirmam, mas eles têm curiosidade e querem aprender. Isso me deixou extremamente feliz, e assim começo meu ano letivo... Com alunos que querem "rápido aprender o que é essa tal de química para entender muita coisa do mundo e na minha vida".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email