Reconstruir com informação

O PT possui vários repositórios de dados onde se pode encontrar os inúmeros e serviços prestados a este País. Para citar apenas três, nos sites do partido, da Fundação Perseu Abramo e o do PT Argumentos, podem ser encontrados os dados para se informar e acumular os argumentos necessários com os quais a informação verificável deve prevalecer

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A reconstrução do Brasil, como conclamou Lula, no dia 7 de setembro, passa pela desintoxicação do ódio inoculado na população, desde 2014, contra a esquerda, mas principalmente, o Partido dos Trabalhadores. Num formato novelesco e sensacionalista, uma operação do Ministério Público Federal, em parceria com a 13ª Vara de Justiça de Curitiba, é cegamente incensada pelos conglomerados de comunicação, inclusive o telejornal de maior audiência nacional. Diariamente, a população assistiu a uma implacável perseguição ao PT, a Lula e a Dilma. Recentes e escabrosas denúncias contra a operação que paralisou o Brasil e as sucessivas vitórias de Lula sobre a Lava Jato, jogam por terra injustas acusações arrancadas a fórceps, por uma indústria de delação premiada sem provas, da qual o delator sai com parte do dinheiro roubado. Esse é o espírito da espetaculosa operação que oficialmente corria em segredo de justiça, mas que era, diariamente, vazada para a imprensa, que repercutia sem apurar os fatos.

O antídoto contra todo esse veneno é a informação. O debate está posto e dele é inescapável. Porém, se trata de uma operação patrocinada pela imprensa comercial cujos interesses passam pela soberania do Brasil. Ela fornece os argumentos superficiais que ludibriam não apenas pessoas com menos grau de escolaridade, mas mestres e doutores que, até hoje, erguem-se para defender uma força-tarefa do MPF teleguiada pelos EUA, que deu um prejuízo ao Brasil superior a R$ 140 bilhões. Bem acima dos propagandeados mais de R$ 10 bilhões que a Lava Jato alega ter devolvido ao erário. Contudo, esse não foi o maior dos prejuízos. Bolsonaro é uma das consequências, talvez a pior, da supressão da democracia, em 2016. A sua eleição e a sua popularidade revelam imaturidade política nacional, bem como a comparsaria de certa imprensa, que o tolera em nome do mercado financeiro, quando não o apoia por identificação ideológica.

Para enfrentar o debate é imprescindível a informação. De um lado, acompanhar as políticas do governo e constatar que Bolsonaro está destruindo tudo, em todos os campos. O desmantelamento de instrumentos protetivos da biota nacional, atraem o interesse internacional. As fontes de energia e as empresas estratégicas, construídas e preservadas com o sangue o suor dos brasileiros, estão à venda, oferecidas como mercadoria de camelô. A cultura, em 2021, perderá mais de R$ 30 milhões. O Fundeb, maior programa de financiamento da educação, foi ampliado e constitucionalizado porque não dependeu de Bolsonaro. Toda sua tramitação foi no Congresso Nacional. Os Centros de Referência da Assistência Social (Cras) e o Especializado de Assistência Social (Creas), que levaram dignidade a milhares de municípios, portanto, a milhões de brasileiros, durante os governos do PT, estão sendo desmontados por Bolsonaro, abandonando uma população extremamente carente, inclusive de informação, a interesses religiosos inescrupulosos.

É incompreensível o número de pessoas que consideram legítimo o presidente erotizar a conversa com uma menina de 10 anos, expondo-a na imprevisível, incontrolável e hostil internet. O mandatário do País trata com absoluta negligência mais de 130 vidas perdidas e com vil desprezo a dor das famílias enlutadas. A imensa maioria da população é pobre e assim se manterá com um governo ultraliberal, cujas políticas são elaboradas em função da consolidação dos privilégios de, no máximo, 20% da população, que concentram os poderes econômico e político. Sem um único murmúrio da imprensa comercial, uma carteira de crédito do Banco do Brasil, de R$ 3 bilhões, foi passada ao BTG Pactual, fundado por Paulo Guedes, por R$ 371 milhões. Bolsonaro vai doar aos banqueiros R$ 325 bilhões, parte de R$ 400 bilhões do lucro dos US$ 380 bilhões de reservas cambiais deixadas pelo PT, que pagariam o auxílio emergencial, de R$ 600, por quase um ano.

O PT tem possui vários repositórios de dados onde se pode encontrar os inúmeros e diversos serviços prestados a este País, ao longo dos seus governos. Para citar apenas três, nos sites do partido, da Fundação Perseu Abramo e o do PT Argumentos, podem ser encontrados os dados para se informar e acumular os argumentos necessários com os quais a informação verificável deve prevalecer. Essas fontes contêm a materialidade que demonstra como o PT elevou o Brasil para a sexta economia mundial; levou água perene para 12 milhões de brasileiros; construiu 3,5 milhões de 4 milhões de habitações contratadas para 7,5 milhões de brasileiros; colocou mais de 5 milhões de filhos de pobres na universidades; tirou quase 40 milhões da pobreza e o Brasil do Mapa da Fome. Informação é o que não falta nessas e em outras fontes, mas é preciso acessar para munir-se de argumentos. https://pt.org.br/saiba-aqui-como-funciona-e-como-acessar/ https://pt.org.br/ e https://fpabramo.org.br/ Contra a confusão da mentira, temos informações verificáveis.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247