Respostas que William Bonner e Renata Vasconcellos fingem não saber

A autocrítica que o PT deve fazer é rever as suas estratégias para combater toda uma organização da grande mídia, responsável por disseminar o ódio na sociedade, derrubar uma presidenta eleita democraticamente, levar ao poder da República um bando de picaretas defensores de banqueiros, latifundiários, grandes empresários, ou melhor, um grupo destinado a trazer de volta o Brasil da escravidão

Respostas que William Bonner e Renata Vasconcellos fingem não saber
Respostas que William Bonner e Renata Vasconcellos fingem não saber (Foto: Ricardo Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A autocrítica que o PT deve fazer é rever as suas estratégias para combater toda uma organização da grande mídia, responsável por disseminar o ódio na sociedade, derrubar uma presidenta eleita democraticamente, levar ao poder da República um bando de picaretas defensores de banqueiros, latifundiários, grandes empresários, ou melhor, um grupo destinado a trazer de volta o Brasil da escravidão. Autocrítica não é se curvar ao adversário, mas combatê-lo na medida em que as injustiças e derrotas tornam-se rotineiras.

A corrupção não surgiu no governo do PT, ela têm suas raízes na estrutura de um Estado que outrora era um verdadeiro complexo de vira-latas. O PT eliminou um grave problema nesse país, ele fortaleceu as instituições de Estado de modo que nada ficasse engavetado, como acontecia nos governos anteriores, nos governos das elites.

Qual é a prova que se tem contra o Lula para que ele esteja preso? Manchetes do Jornal Nacional não valem! Delação premiada? Bom, numa operação em que os delatores só podem falar aquilo que convém aos acusadores, inclusive ao próprio juiz que deixa de fazer juízo para acusar o réu. Mas, para começo de conversa todo mundo sabe que falar até os papagaios falam, e juridicamente provas orais não podem ser condenatórias.

Se o Lula foi condenado por duas instâncias e em cada uma delas pela maioria do colegiado, não foi porque os juízes e ministros conspiraram, afinal o Judiciário não é partido político, ele é poder de Estado, uma instituição independente, harmônica e imparcial. Também não foi por erro porque eles bem sabem, da inocência de Lula e não é o ex-presidente quem tem que provar, mas, sim, a parte acusatória. O problema é que uma parte do Judiciário deixou de fazer justiça para fazer política, e com isso servir aos interesses das elites, tudo é claro, com o apoio midiático da Rede Globo. Nenhum juiz, desembargador e ministro do STF cometeria erros num processo onde qualquer leigo consegue ver o total desrespeito à presunção de inocência e o desprezo escancarado à Constituição.

Lula tem uma apreço muito grande por lideranças, pessoas que têm garra e vontade de fazer do Brasil um país com oportunidades para todos. O povo sabe disso, sabe que o PT não tem somente o Lula, mas tem a ideia Lula, o projeto Lula. É por isso que mesmo preso injustamente ele é aclamado pelo povo brasileiro, e se não fosse a sua prisão política, ele estaria eleito em primeiro turno. Essa é a verdade!

A Rede Globo e toda a mídia golpista diz que o PT foi quem quebrou o Brasil, ora antes do governo petista o país era uma maravilha? O povo sabe a verdade, sabe da dura realidade que viviam antes de Lula chegar a presidência. Agora, quem está quebrando o Brasil é o governo Temer, que foi alçado ao poder graças a campanha promovida pela FIESP e a Rede Globo. A mídia golpista esconde que em 2015 a então oposição liderada por Aécio Neves e o PSDB não aceitaram a vitória de presidenta Dilma e iniciaram um inferno contra o governo, pois nada que o governo mandava para o Congresso era aprovado, nem mesmo o orçamento anual de 2015. No entanto, a oposição fazia questão de aprovar as chamadas pautas bombas, medidas que prejudicavam o orçamento da União e favoreciam bancos, grandes empresas, fazendeiros e juízes. Tudo isso foi orquestrado para criar um forte clima de crise política e econômica, o que possibilitou a abertura do processo de Impeachment contra a presidenta Dilma, impeachment sem fundamentos legais. Criou-se pela mídia, toda uma falsa história a respeito do governo petista, um golpe parlamentar travestido de Impeachment!

Já Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, foi derrotado em primeiro turno nas eleições de 2016, porque naquele momento em todo o Brasil o PT estava vivenciando um forte ataque empreendido pelas elites que se aproveitaram da imobilidade de parte do eleitorado. Haddad não foi derrotado porque deixou de cumprir promessas, mas porquê havia toda uma conjuntura não favorável a sua reeleição. E se não foi cumprido algumas metas de seu governo na gestão de São Paulo, é porque no final da gestão em 2015 e 2016, o país sofria coma paralisação do governo Dilma, essa paralisação foi consequência da orquestração golpista tramada pela oposição preocupada em atender os interesses das elites que, durante todo o governo do PT, disseminaram o discurso de ódio no Brasil.

Haddad é o rapaz de Lula e assim como disse o próprio presidente, ele tem a missão de resgatar a democracia brasileira, interromper a destruição dos direitos sociais, do pré-sal, da Petrobras, de devolver a dignidade ao povo, gerando empregos, valorizando os salários do trabalhador, da trabalhadora, do aposentado, da aposentada, expandir a oferta do ensino superior, criar um Brasil de oportunidades para todas e todos. Portanto, o eleitor deve o mais rápido possível, adquirir consciência sobre o egoísmo e o ódio que as elites têm nesse país, tudo para não permitir que o povo escolha um governo democrático responsável por fazer aquilo que os ouros presidentes e senhores do poder não fizeram em quinhentos anos. Nesse sentido, é preciso lutar contra as forças opressoras elegendo Haddad presidente, e conquistar a libertação do maior líder popular da história do Brasil, o companheiro Luiz Inácio Lula Da Silva, o nosso querido Lula.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247