Rio de Janeiro, tão longe do céu, tão perto da Globo

Não podemos subestimar o Michel Temer. Ele deve ser levado muito a sério. Afinal, o traidor é um constitucionalista. Deu aula na PUC. Teoricamente conhece muito da carta magna, certo? Bem, a intervenção no Rio de Janeiro faz parte desse processo de garantia de continuidade do golpe. Rio, tão longe do céu, tão perto da Globo

Não podemos subestimar o Michel Temer. Ele deve ser levado muito a sério. Afinal, o traidor é um constitucionalista. Deu aula na PUC. Teoricamente conhece muito da carta magna, certo? Bem, a intervenção no Rio de Janeiro faz parte desse processo de garantia de continuidade do golpe. Rio, tão longe do céu, tão perto da Globo
Não podemos subestimar o Michel Temer. Ele deve ser levado muito a sério. Afinal, o traidor é um constitucionalista. Deu aula na PUC. Teoricamente conhece muito da carta magna, certo? Bem, a intervenção no Rio de Janeiro faz parte desse processo de garantia de continuidade do golpe. Rio, tão longe do céu, tão perto da Globo (Foto: Edison Brito)

Não podemos subestimar o Michel Temer. Ele deve ser levado muito a sério. Afinal, o traidor é um constitucionalista. Deu aula na PUC. Teoricamente conhece muito da carta magna, certo? E, como percebemos, depois das sucessivas derrotas da esquerda, sabe usá-la com maestria. Tal e qual o Eduardo Cunha, doutor nas regras da câmara dos deputados. Os dois pulhas são exemplos escarrados de que erudição não dá caráter a ninguém. Há um ditado russo que afirma: o diabo é inteligente, mas Deus não gosta dele.

Bem, a intervenção no Rio de Janeiro faz parte desse processo de garantia de continuidade do golpe.

Ele tentou travar o congresso e impedir a derrota da reforma da previdência. Por enquanto não conseguiu.

Ao mesmo tempo o “vampirão” deseja aumentar sua popularidade. Pra quê? Não sei. O elemento já afirmou que não liga para essas estatísticas, logo está pouco se lixando para o que o povo pensa a seu respeito. Tem 4% de aprovação, pra ficar “Ruim” ele tem que quadruplicar este índice.

Vejamos. Com a ajuda da Globo a intervenção do exército será um sucesso.  Por que com a ajuda da emissora? Oras, basta não noticiar crimes. O que os olhos não veem e os ouvidos não ouvem, o coração não sente, não é mesmo? Então o carioca ficará com a falsa sensação que a segurança aumentou.

Mas isso não é o pior

A cidade maravilhosa foi e sempre será referência para o país.  Dotada de um visual deslumbrante, um povo hospitaleiro e alegre. Belas praias. Montanhas.

Hospedou grandes chefes de estado, intelectuais, reis e rainhas. Atores e músicos “hollywoodianos”.  Conhecida mundialmente pelo turismo.

Moradia e passagem obrigatória para escritores, compositores, artistas plásticos, poetas, músicos, passistas, cordelistas, boas-praças, malandros. Teatros, museus...  Machado de Assis, Lima Barreto, Noel Rosa... Passeando pelas  ruas  cariocas respiramos história. Joaquim Nabuco, Marechal Deodoro, Getúlio Vargas...

Dita maneirismo, moda, tendências culturais. Berço do samba, da bossa nova, do funk. Dos grandes eventos. Já recebeu duas finais de copas de futebol e uma olimpíada. O rock-in-Rio.

O Rio de Janeiro é um imenso laboratório para testes e experimentalismos. Quem deseja se firmar passa por seu crivo.

Infelizmente os bandidos também sabem do potencial desta cidade e de seu povo. E nela perpetram suas maquinações. Não me refiro ao tráfico, aos assaltos, à segurança pública, e sim aos corruptos, aos golpistas, aos verdadeiros facínoras que tomaram o poder à base da vigarice e agora vendem e destroem uma nação.

Os marginais, como vampiros, sugam a força vital dos moradores do Rio. Arrasam o estado. Sem dinheiro, desviado para bolsos do alheio, não pagam os funcionários. Não investem.

O funcionalismo ficou meses sem receber. Algumas categorias estão recebendo de forma parcelada.

Evidentemente que quando o cidadão fica sem receber a situação se agrava. Atrasa aluguel, escola, contas. A sua vida se torna um ato de desespero.  Mesmo as pessoas com viés direitistas se sentem compelidas a participar de manifestações. E a tendência é recrudescer os protestos.

Este cenário de pré-convulsão serve de estudos para os usurpadores. Pois eles têm ciência que as medidas tomadas pelo traidor Temer são impopulares e de uma hora para outra podem gerar revolta.

As forças armadas têm que estar preparadas para enfrentar o “inimigo”, ou seja, os  desprivilegiados do Brasil.

Rio, tão longe do céu, tão perto da Globo.

Agora há outros lugares bem mais inseguros que a antiga capital federal.

Segundo dados do 11º Anuário de Segurança Pública, Sergipe é o mais violento, seguido por Rio Grande do Norte, Alagoas, Pará e Amapá... O Rio de Janeiro ocupa a décima primeira posição.

Então, com “sucesso” da experiência, por que não intervir em outros estados também, não é verdade? É tão fácil, para quem não tem compromisso com a nação e com a democracia.

O decreto já está feito e aprovado pela câmara dos deputados. Interventor de natureza militar.

Seria mais uma jabuticaba. Os militares assumiriam o poder de fato e Temer teria seu mandato presidencial prorrogado, ou eleito, por um “colégio eleitoral”, até que as coisas retornassem aos eixos. Evidentemente.

Aliás, o traidor anda dizendo deseja ser eleito, mas nunca disse que as eleições seriam nos moldes atuais, um cidadão um voto.

Bem. A direita não tem candidato. Até quando a Globo vai conseguir manter anestesiada parcela da população ninguém sabe. Então, qual a dificuldade dos canalhas entrarem de cabeça em mais essa aventura golpista? Nenhuma.

A não ser que alguém general tenha outras aspirações e resolva chutar o pau-da-barraca assumindo essa bagunça de vez.  E, adeus amada fruta.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247