RO: pede afastamento o vice-prefeito do ‘Doria’ de Porto Velho citado por delator

Edgar Nilo Tonial, popularmente chamado Edgar do Boi, presidente regional do PSDC em Rondônia, foi citado na delação de Valdir Aparecido Gomes, executivo da JBS/ Friboi, que depôs no último dia 4 de maio na sede da Procuradoria Geral da República, em Brasília

Edgar Nilo Tonial, popularmente chamado Edgar do Boi, presidente regional do PSDC em Rondônia, foi citado na delação de Valdir Aparecido Gomes, executivo da JBS/ Friboi, que depôs no último dia 4 de maio na sede da Procuradoria Geral da República, em Brasília
Edgar Nilo Tonial, popularmente chamado Edgar do Boi, presidente regional do PSDC em Rondônia, foi citado na delação de Valdir Aparecido Gomes, executivo da JBS/ Friboi, que depôs no último dia 4 de maio na sede da Procuradoria Geral da República, em Brasília (Foto: Luciana Oliveira)

Edgar Nilo Tonial, popularmente chamado Edgar do Boi, presidente regional do PSDC em Rondônia, foi citado na delação de Valdir Aparecido Gomes, executivo da JBS/ Friboi, que depôs no último dia 4 de maio na sede da Procuradoria Geral da República, em Brasília.

Edgar do Boi é vice-prefeito do tucano Hildon Chaves, ex-promotor que foi comparado pela revista Veja na edição de 13 de outubro de 20016 ao prefeito de São Paulo, João Doria, pela fortuna e por se dizer não-político.

Com o slogan “Corrente do Bem”, a chapa Edgar/Hildon venceu as eleições na capital com mais de 65% dos votos.

Edgar também é um dos políticos citados em estudo feito pelo Observatório sobre o Arco Político do Desmatamento.

O que o executivo da JBS relatou sobre o esquema que envolve o vice será remetido às instâncias da justiça de Rondônia para que seja analisada a abertura de inquérito.

Segundo o delator, pelo acordo com um intermediário do vice-prefeito, haveria concessão de créditos presumidos, ilegítimos ou falsos e a JBS não seria incomodada com fiscalização, mediante o pagamento de propina de 30 por cento sobre o valor do imposto devido em ICMS.

Edgar do Boi teria recebido cerca de 3 milhões de reais e o delator confirma que de 2012 a 2016, a JBS não foi incomodada com fiscalizações.

O delator diz que a ‘parceria’ foi firmada na sede do PSDC em Porto Velho com Edgar do Boi e os contadores Nilton Amaral, da Guaporé Carnes, e Clodoaldo Andrade, do escritório Rio Madeira Contabilidade.

Amaral era contador da empresa Guaporé Carnes, adquirida pela JBS, e Clodoaldo participou da campanha tucana e foi nomeado chefe da equipe de transição de governo.

“Eu sei o percentual que negociei e levei a eles (Egar do Boi e Clodoaldo). Conversei com o Weslei Batista , dono da JBS, e ele me disse : siga em frente. São 30 por cento que a empresa (JBS) deixou de pagar em impostos de 2012 a 2014. Pagamos propina ao contador Clodoaldo e a Edgar do Boi”, contou o delator ao juiz.

A propina teria chegado a Edgar do Boi por meio de transferência a um banco de Porto Velho.

O dinheiro era sacado e entregue a Clodoaldo em seu escritório, onde eram emitidas notas fiscais por serviços contábeis nunca prestados.

As provas de pagamentos e notas fiscais serão entregues pelo delator para comprovar a corrupção. .
Confira o depoimento do executivo da JBS:

O vice-prefeito se afastou para cuidar da sua defesa, conforme nota divulgada:

Nota Oficial
Vice-prefeito

Diante das denúncias divulgadas pela imprensa, e que envolve meu nome, acatei solitação do prefeito Dr. Hildon Chaves de afastamento das minhas atividades para que possa me dedicar integralmente a minha defesa.

Neste momento grave da vida política nacional, entendo que não posso me transformar num obstáculo ao grande governo que está sendo promovido na cidade de Porto Velho e, por essa razão, reitero meu pedido de afastamento, mantendo-me sempre na torcida de que o governo municipal tenha êxito nas suas atividades.

Edgar Nilo Tonial

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247