Rogério Marinho zomba do movimento sindical

Deixaremos este deputado zombar de todo o movimento sindical? Não ocuparemos Brasília? Deixaremos aprovarem o desmonte da CLT antes da Greve Geral?

Deixaremos este deputado zombar de todo o movimento sindical? Não ocuparemos Brasília? Deixaremos aprovarem o desmonte da CLT antes da Greve Geral?
Deixaremos este deputado zombar de todo o movimento sindical? Não ocuparemos Brasília? Deixaremos aprovarem o desmonte da CLT antes da Greve Geral? (Foto: Elizeu Rodrigues)

Após perder no dia 18 de abril, deputados oriundos de partidos da ditadura como o Democratas (Antigo PFL) e o Partido Progressista (PP), assim como partidos vendidos aos interesses vendidos ao capital internacional como o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) e seus aliados apresentaram um novo pedido de urgência para a Reforma Trabalhista.

O povo brasileiro foi derrotado por 287 votos a 144. O Deputado Rogério Marinho articula a votação na comissão especial para terça-feira e a no plenário para quarta-feira. Foram 24 votos que viraram de um dia para o outro, inclusive o do próprio Tiririca, que disse foi forçado pelo seu partido o Partido da República (PR).

O movimento sindical cearense está todos os dias nas ruas e conseguimos bons resultados que tem que ser ampliados, pois dos 22 deputados, só seis tiveram a ousadia de votar contra os trabalhadores.

Mas precisamos ampliar o esforço, temos que agora ganhar no plenário da Câmara e precisamos que cada sindicalista de coragem neste país se indigne e ocupe os aeroportos, garanta o voto dos deputados de seu estado.

E por último, em entrevista ao site UOL para a sessão de economia, o deputado Rogério Marinho afirmou o seguinte:

Marinho disse que é positivo que a reforma trabalhista fique em segundo plano, diante da reforma da Previdência, e que isso facilita que o projeto tramite com poucas contestações.

"Aconteceram duas situações muito boas para o projeto. A primeira foi a reforma da Previdência. A reforma da Previdência nos deu uma espécie de cortina de fumaça. Só se discute a reforma da Previdência, só se fala da reforma da Previdência. Está fora do radar a reforma trabalhista. E é bom que seja assim", disse.

A outra situação citada por Marinho foi sua estratégia de divulgar que a reforma acabaria com a obrigatoriedade do imposto sindical, de forma a desviar a atenção dos demais pontos da reforma.

"Há 15 dias, 20 dias atrás, eu anunciei, antes de ler o relatório, que nós iríamos tornar o imposto [sindical] opcional. Pronto, então ninguém discute mais nada da reforma trabalhista. Só discute o dinheiro que vão perder ou vão deixar de ganhar. Então por isso eu acho que há uma grande possibilidade que a tramitação não tenha muitos sobressaltos. [1] (UOL, 19 de abril de 2017).

Deixaremos este deputado zombar de todo o movimento sindical? Não ocuparemos Brasília? Deixaremos aprovarem o desmonte da CLT antes da Greve Geral? A Federação dos Trabalhadores, dos Empregados e Empregadas no Comércio e Serviços do Estado do Ceará está ocupando todos os espaços, agora precisamos que todas as confederações, federações e Centrais realizem o seu papel histórico de defesa dos trabalhadores. Deixaremos que 15 mil sindicatos sejam derrotados por 287 golpistas. Já ficou claro que o Governo não vencerá na Previdência, agora fica a luta contra o Desmonte Trabalhista.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247