Sergio Moro é tão criminoso quando Jair Bolsonaro

Sergio Moro e Bolsonaro são farinhas do mesmo saco. E ao contrário do que disse, ele estava à venda, sim. É que o preço ofertado não foi suficiente para comprar a cadeira no STF

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O peso e medida que Moro julga Bolsonaro, deve ser usado pelas instituições democráticas e por parte da sociedade para julgar Sérgio Moro. No que se refere a vazamentos ilegais, poucas ou nenhuma pessoa no Brasil tem a expertise de Sérgio Moro, e disso ninguém tem dúvidas!

Os fatos históricos deixam suas marcas indeléveis e nos dão a deliciosa capacidade de relembrar a incoerência de Sergio Moro que acusa hoje Bolsonaro pelo crime que ele Sergio Moro cometeu junto com Bolsonaro a 9 meses atrás!!  

No dia 05 de julho de 2019, todos os jornais do Brasil e do mundo davam notícias de que Sergio Moro, havia repassado ao presidente da República CÓPIAS  de um inquérito SIGILOSO DA POLíCIA FEDERAL.

O inquérito era contra o Ministro mineiro do Turismo Marcelo Alvaro Antonio, e falava sobre as candidaturas LARANJAS de Minas Gerais! Num esquema do PSL, o partido dos laranjas!

Basta uma pesquisa rápida na internet! E aÍ? 

É crime passar informações sigilosas sobre investigação de crimes cometidos pelos filhos de Bolsonaro? Sim. É crime!

É crime passar informações sigilosas sobre investigação de crimes cometidos pelo Ministro do Turismo? SIm. É CRIME E SERGIO MORO, OS COMETEU!!

Diz a sabedoria popular que o uso do cachimbo faz a boca torta! Pois bem! Foi o uso desse cachimbo que Sergio Moro e Jair Bolsonaro andaram pintando por ai!

Ou uma coisa, é crime, e a outra não? Sendo que as duas coisas são o mesmo crime?? Alguém tem resposta pra esse enigma que acomete Sergio Moro que é o de fazer justiça seletiva? A indignação de Moro é falsa! O fato concreto é que ele se sentiu alijado da escolha para o STF. 

Sergio Moro e Bolsonaro são farinhas do mesmo saco. E ao contrário do que disse, ele estava à venda, sim. É que o preço ofertado não foi suficiente para comprar a cadeira no STF.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247