Suas excelências, os golpistas

A firmeza do ministro Alexandre de Moraes nas medidas de defesa da democracia deu-nos uma ideia do que anda ocorrendo nos subterrâneos da sociedade

www.brasil247.com - Luciano Hang
Luciano Hang (Foto: Eduardo Matysiak)


A firmeza do ministro Alexandre de Moraes nas medidas de defesa da democracia deu-nos uma ideia do que anda ocorrendo nos subterrâneos da sociedade. É bom saber e, sobretudo, é bom verificar que providências se acham em curso para garantir eleições justas e a posse dos vitoriosos. Alguns maus elementos, aparentemente, se habituaram à noção de impunidade e conspiram, criam situações ou anunciam intenções, enquanto cada vez mais fica evidente para onde se dirigem os desejos da população. Lula transmitiu e vem transmitindo lições de confiança e de preparo... 

Um desses grupos, de gente milionária, amigos, segundo dizem, do atual presidente, fartos de recursos materiais e convencidos de que podem chegar lá, teve agora suas posses, celulares e computadores confiscados pela Polícia Federal, com vistas a pôr à nu o que já fizeram e o que pretendem fazer. Um deles, Luciano Hang, queridinho da atual administração, declarou indignado à CNN que se considera no direito de, em nome do conservadorismo, demonstrar até onde chegará, se entender necessário, adepto do atraso, contra a vontade da maioria. 

Muito já se declarou sobre a humanidade e a natureza dos homens e mulheres. Píndaro, o poeta grego, sobre a nossa fragilidade, concluiu que o Homem é a sombra de um sonho. Positivamente, pouco parecemos ser além disso. Não quer significar que temos o direito de nos esconder, organizados em gangues de oito, de rumar contra a corrente, afrontar a opinião pública, e a Lei, e trabalhar num conluio em favor da ditadura. Eles se deixaram influenciar pelo atual mandatário, conhecido por declarações exuberantes em favor de torturadores e arroubos militaristas, para não dizer belicistas. Os integrantes do grupo, porque se entendem endinheirados, não compreenderam que toda a sua força pode esbarrar no sistema jurídico e terminar em desastre. O vil metal compra muito, mas não compra tudo. Aconselha-se que moderem seus instintos assassinos. Já se viu que, no STE, um dirigente promete nos conservar na linha, em termos de resultados eleitorais e posse dos vitoriosos. Imprensa, militares, o Departamento de Estado, nada disso dá a impressão de acompanhá-los na aventura. Terão, no máximo, a simpatia de dois ou três bolsonaristas truculentos, com os quais a estrada se revelará curta e acidentada. De posse de uma fortuna confortável, como comerciantes, bem aquinhoados sobretudo de um tempo para cá, Hang e seus companheiros asseguram a cabeça baixa dos seus comandados em suas lojas e trocas comerciais. São como reis – ou talvez se sintam assim. E reis, como não se ignora, de tanto ocuparem posição de destaque, creem que o respeito lhes grudou na pele, na cabeça e na alma. No entanto, a verdade é que suas excelências, os golpistas, carecem de leitura. Não passaram perto da teoria política, não degustaram Maquiavel, sequer se aproximaram de tratados dispondo sobre o mundo, seus desafios, suas opções. Sem um pouco de cuidado, apesar dos confidentes em quem confiam, dentro ou fora do Palácio do Planalto, a velocidade dos eventos os engolirá. Pelo menos, aconselha-se que leiam Píndaro para saber o que é um Homem. As luzes de que se imaginam donos, num passe de mágica, viram trevas. E por que não, com um copo de uísque, uma dose de humildade?

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247