Temer, Padilha e Geddel têm que cair

Diante deste fato que assombra o mundo e o Brasil, sugiro que o Congresso Nacional abra já um processo de impeachment para cassar o mandato do golpista Temer, e que o STF dê autorização à PF para o aprofundamento das investigações

Temer colhe o que plantou. Sua face de traidor da pátria está exposta.

Estoura mais um escândalo envolvendo a camarilha instalada no poder.

O depoimento do ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, à Polícia Federal, no último sábado, mostrou ao Brasil que Temer e toda a cúpula do Palácio do Planalto se envolveu na tentativa de desrespeitar o órgão máximo do patrimônio histórico do Brasil para favorecer o ministro Geddel Vieira Lima.

Onde já se viu um Presidente da República chamar um ministro de estado para arbitrar um negócio particular de um outro ministro, entre 2,5 milhões, e 4,5 milhões?

Geddel pressionava Calero pela autorização de construção de 31 andares num prédio onde tem um apartamento e o Iphan só autoriza a edificação de13 pavimentos.

Com vista privilegiada para a Baía de Todos-os-Santos, o condomínio La Vue, iniciado em outubro de 2015, foi embargado pelo Iphan após estudos técnicos apontarem impacto do empreendimento em cinco imóveis tombados da vizinhança do condomínio:

o Forte e Farol de Santo Antônio, o Forte de Santa Maria, o conjunto arquitetônico do Outeiro de Santo Antônio (que inclui o Forte de São Diogo), além da própria Igreja de Santo Antônio.

Para quem quis acabar com o ministério da Cultura logo no início de seu governo, isso não surpreende a ninguém.

Por ter aceito fazer parte de um governo golpista, a turma do Planalto não contava com a possibilidade de Calero ser um homem minimamente íntegro na gestão da coisa pública.

Esperavam que aceitasse fazer papel de capacho aos caprichos de Geddel, e de ditador em relação ao Iphan.

Em seu depoimento à PF Calero deu o roteiro da pressão exercida pelo Planalto.

Disse que Geddel lhe informou por telefone que possuía um apartamento no prédio embargado e exigiu que o Iphan nacional homologasse a decisão autorizativa da obra tomada pela Superintendência do Iphan da Bahia.

Como Calero defendia uma solução de acordo com as normas do Iphan nacional, o presidente Michel Temer o chamou ao Palácio do Planalto e disse que a decisão do Iphan havia criado "dificuldades operacionais" em seu gabinete, pois Geddel encontrava-se bastante irritado.

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, assim como Temer pediram a Calero que o processo fosse encaminhado à AGU, afirmando que a ministra Grace Mendonça daria uma solução ao caso.

Calero confessou à PF sua decepção pelo fato de não ter mais a quem reportar-se a fim de solucionar esta situação, uma vez que o próprio presidente da República- de quem esperava justiça- te-lo enquadrado, mesmo sem que tenha cometido qualquer tipo de irregularidade.

Segundo o blog do Kenedy, Calero entregou à PF gravações de conversas suas com Temer, Geddel, Padilha, e um assessor seu.

Diante deste fato que assombra o mundo e o Brasil, sugiro que o Congresso Nacional abra já um processo de impeachment para cassar o mandato do golpista Temer, e que o STF dê autorização à PF para o aprofundamento das investigações.

Esta é mais uma oportunidade para que o Procurador Geral da Republica demonstre que não é parcial e abra o processo. Se não abrir está provado que é parte da camarilha.

E há de se perguntar: cadê os paneleiros que saíram às ruas dizendo que estavam combatendo a corrupção? Onde estão agora diante desta corrupção descarada que assusta a todos nós?

São coniventes, fazem parte da mesma quadrilha? ou vão as ruas agora se juntar a todos os demais brasileiros que defendem o fim da hipocrisia e um Brasil onde se respeite a Constituição?

Conheça a TV 247

Mais de Blog

blog

Eros

Do jeito que estava não podia continuar. Não havendo compradores para a única mercadoria que lhes sobrava arrumaram uma maneira de ganhar a vida, uma nova

Ao vivo na TV 247 Youtube 247