Tô com o Zé de Abreu e não abro!

Zé de Abreu tá certo nos verbos que dirigiu a Regina Duarte e a Carlos Vereza. Como ele mesmo fala, conhece ela e o outro de perto e sabe o que cada um fez no ano passado

José de Abreu e Regina Duarte
José de Abreu e Regina Duarte (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Quando o ex-presidente Lula indicou Dilma Roussef como candidata a Presidente pelo Partido dos Trabalhadores no ano de 2010 os ataques contra ela foram tão fortes, partindo primeiro da imprensa que a chamava de “poster”, em um ataque que logo reverberou nas redes sociais. E o que parecia ser uma campanha dentro da normalidade descambou para a baixaria.

O clima ficou tão pesado e perigoso que alguns “guerrilheiros virtuais” se juntaram para contra-atacar. Eles se valeram do que tinham às mãos. Naquele momento, a unidade da esquerda militante das redes sociais que engatinhava e foi pega de surpresa, foi o que de melhor se conseguiu fazer.

Tanto que, ainda viva, Dona Marisa Leticia agradeceu o trabalho dos guerrilheiros mesmo antes do seu final.

Naqueles dias tumultuados duas pessoas se juntaram e juntaram muitos outros. Um foi o Zé de Abreu, ator da Rede Globo. O outro foi o Bemvindo Sequeira, ator da Rede Record. Estes dois se revezavam em um canal no Tinychat, durante dias a noites. Foram incansáveis, assim como todos os que lá estivemos juntos.

A eleição da Dilma veio, assim como a sua reeleição. E fomos vendo as agressividades aumentarem contra ela e o Partido dos Trabalhadores de tal forma que culminou com o seu impedimento e ela foi arrancada da Presidência de forma arbitraria sem que tivesse cometido nenhum crime. E isto já está provado pela própria justiça, que foi parceira no Golpe.

Por muitas vezes eu aqui em casa, lendo notícias que são postadas, informações que chegam, imagens distribuídas em redes sociais, me deu uma vontade arretada de mandar muita gente se lascar, de xingar com todos os impropérios que conheço e outros mais que eu poderia dar um de Joice Roussemman, e copiar e colar, só para ser um tinquinho igual aos que nos atacam, mentem e manipulam.

Então quando eu vi a cusparada do Zé de Abreu em uma pessoa que o provocou, eu me senti representado nela. Quando eu li os ataques e contra-ataques dele contra fascistas, milicianos, misógenos, racistas e todo o tipo de verme putrefado que saíram das catacumbas, eu concordei com ele. Sejam eles direcionados ao sexo masculino ou feminino. Se esses desqualificados e essas desqualificadas nos atacam, não só em palavras, nós devemos nos defender, seja de que forma for.

Zé de Abreu tá certo nos verbos que dirigiu a Regina Duarte e a Carlos Vereza. Como ele mesmo fala, conhece ela e o outro de perto e sabe o que cada um fez no ano passado.

Querer patrulhar o modo como o Zé de Abreu vem militando é querer calar a única voz que consegue mobilizar a militância nas redes. Você que caga regras de como tratar fascistas e suas apoiadoras, deveria ter a coragem de os enfrentar, usando o seu texto, sua forma de escrita e parar reclamar do Zé.

Tô com o Zé e não abro!

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247