Tonton Macoutes

"Em São Paulo, cercaram uma escola ocupada por 20 estudantes menores de idade, revoltados com a possibilidade de Doria fechar a unidade de ensino. Veio a PM e, diante de uma professora indignada, o meganha gritou: 'Cala a boca, aqui é puliça!'. Mas, aí, chegou a TV Globo e ele botou o rabinho entre as pernas, com medo de aparecer em algum telejornal", relata o jornalista Leandro Fortes. "Fascistas são, antes de tudo, covardes", acrescenta

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Leandro Fortes,  para o Jornalistas pela Democracia  -  A guarda pretoriana do fascismo brasileiro não é o Exército, ainda mantido, graças a um equilíbrio institucional interno, longe da insanidade bolsonarista.


São as polícias militares, forças estaduais que, juntas, superam o contingente das Forças Armadas, que formam a tropa de proteção e execução de políticas fascistas. Aliás, desde sempre.


Vis, violentas e adestradas para massacrar pobres e pretos - aliás, pelas mãos de soldados quase sempre pobres e pretos, como na canção de Caetano e Gil -, as PMs se transformaram em um exército de ocupação fascista.


No Rio de Janeiro, já são quase 1,6 mil mortos pela PM do psicopata Wilson Witzel. Em São Paulo, quase mil, pelas ordens do perfumado protofascista João Doria.


Excitados pela narrativa central do governo Bolsonaro, os guardas da esquina mal conseguem se controlar. Reprimem manifestações antifascistas, mas arregam na hora de abordar um imbecil com uma braçadeira nazista, como se viu em Unaí.


Em São Paulo, cercaram uma escola ocupada por 20 estudantes menores de idade, revoltados com a possibilidade de Doria fechar a unidade de ensino. Veio a PM e, diante de uma professora indignada, o meganha gritou: "Cala a boca, aqui é puliça!"


Mas, aí, chegou a TV Globo e ele botou o rabinho entre as pernas, com medo de aparecer em algum telejornal.


Fascistas são, antes de tudo, covardes.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247