Uma dúvida suprema

"Em 2012, quando foi preso Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, acusado de operar um caixa 2, a então ministra, hoje presidenta suprema, Carmen Lúcia vociferava: 'Caixa 2 é crime; é uma agressão à sociedade brasileira'; etc, etc. Agora, que foi escancarado o Caixa 2 do seu amigo e irmão-camarada, o Minerinho, parece que a presidenta e seus pares no STF não se revoltam mais", escreve o doutor em Ciência Sociais Robson Sávio Reis Souza, professor da PUC Minas; "Será que as ninfas supremas ou pelo menos a presidenta do Olimpo admitirão que caixa 2 é crime e é uma agressão à democracia independente de quem praticou a falcatrua? Ou devemos continuar dormindo em berço esplêndido, crentes que a justiça é isonômica na república das bananeiras?", questiona

"Em 2012, quando foi preso Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, acusado de operar um caixa 2, a então ministra, hoje presidenta suprema, Carmen Lúcia vociferava: 'Caixa 2 é crime; é uma agressão à sociedade brasileira'; etc, etc. Agora, que foi escancarado o Caixa 2 do seu amigo e irmão-camarada, o Minerinho, parece que a presidenta e seus pares no STF não se revoltam mais", escreve o doutor em Ciência Sociais Robson Sávio Reis Souza, professor da PUC Minas; "Será que as ninfas supremas ou pelo menos a presidenta do Olimpo admitirão que caixa 2 é crime e é uma agressão à democracia independente de quem praticou a falcatrua? Ou devemos continuar dormindo em berço esplêndido, crentes que a justiça é isonômica na república das bananeiras?", questiona
"Em 2012, quando foi preso Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, acusado de operar um caixa 2, a então ministra, hoje presidenta suprema, Carmen Lúcia vociferava: 'Caixa 2 é crime; é uma agressão à sociedade brasileira'; etc, etc. Agora, que foi escancarado o Caixa 2 do seu amigo e irmão-camarada, o Minerinho, parece que a presidenta e seus pares no STF não se revoltam mais", escreve o doutor em Ciência Sociais Robson Sávio Reis Souza, professor da PUC Minas; "Será que as ninfas supremas ou pelo menos a presidenta do Olimpo admitirão que caixa 2 é crime e é uma agressão à democracia independente de quem praticou a falcatrua? Ou devemos continuar dormindo em berço esplêndido, crentes que a justiça é isonômica na república das bananeiras?", questiona (Foto: Robson Sávio Reis Souza)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Em 2012, quando foi preso Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, acusado de operar um caixa 2, a então ministra, hoje presidenta suprema, CARMEM LÚCIA vociferava: “Caixa 2 é crime; é uma agressão à sociedade brasileira"; etc, etc.

Agora, que foi escancarado o Caixa 2 do seu amigo e irmão-camarada, o Minerinho, parece que a presidenta e seus pares no  STF não se revoltam mais. Não vi nem ouvi nenhum capapreta aparecer indignado na TV ou nos jornais revoltados com as revelações da turma da Odebrecht...

Afinal, caixa 2 é corrupção se for para o PT e doação se for para os outros partidos, principalmente se um partido da ave do bico avantajado.

A Odebrecht acaba de escancarar que deu 9 milhões para o mineirinho. Até o príncipe, FHC,  admitiu que o também "menino do rio" recebeu recursos provenientes de Caixa 2. Afinal, ao afirmar que “há uma diferença entre quem recebeu recursos de caixa dois” e quem “obteve recursos para enriquecimento pessoal, crime puro e simples de corrupção" fica óbvio que o cacique tucano não somente admite a corrupção (recebimento de caixa 2), como também expõe mais uma vez seu cinismo envernizado ao diferenciar a "corrupção do bem" do PSDB, da "corrupção do MAL" (com letras garrafais) do PT.

Mas, nessas alturas do campeonato, estou com uma dúvida atroz: será que as ninfas supremas ou pelo menos a presidenta do Olimpo admitirão que caixa 2 é crime e é uma agressão à democracia independente de quem praticou a falcatrua?

Ou devemos continuar dormindo em berço esplêndido, crentes que a justiça é isonômica na república das bananeiras?

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247