Uma verdadeira Temeridade

Claro que a prisão do Temer em um primeiro momento é motivo de regozijo. Mas logo vem o pensamento lógico. Como assim, prenderam? Já foi indiciado? Já foi julgado? Já acabaram os recursos? Como assim? E aí a coisa complica para quem defende o Estado de Direito

Uma verdadeira Temeridade
Uma verdadeira Temeridade (Foto: Marcos Corrêa - PR)

Claro que a prisão do Temer em um primeiro momento é motivo de regozijo. Afinal de contas, nós que já passamos dos 60 aguardamos 40 anos por este dia. Uau, ele finalmente chegou.

Mas logo vem o pensamento lógico. Como assim, prenderam? Já foi indiciado? Já foi julgado? Já acabaram os recursos? Como assim? E aí a coisa complica para quem defende o Estado de Direito.

Explico melhor. Quando fui contra a condenação do Presidente Lula e da forma como conduziram o processo dele, é porque foram cometidos abusos e verdadeiros atentados ao Estado de Direito e o Devido Processo legal. Todas estas aberrações levaram um inocente para a cadeia. Sendo assim, por uma questão de coerência não posso concordar com a prisão antecipada do Temer.

Claro que a Lei permite interpretações. A Prisão Preventiva é uma destas aberrações que servem ao propósito da benevolência quando se trata dos amigos e seu rigor para os inimigos. Para exemplificar, no caso do Temer o Juiz disse, entre outras justificativas para a preventiva, que ele poderia usar o celular para destruir ou encobrir provas. Mesmo detido ele ainda estava dando entrevistas para jornalistas pelo celular, então que justificativa é esta?

Quando foram denunciadas todas as barbaridades do processo contra o Lula, uma das coisas que eu mais insisti foi de que o mesmo poderia acontecer no futuro com alguém próximo de nós, um amigo, parente etc. Quis o destino que fosse o Temer, ainda assim vale o mesmo princípio.

Eu não vou reproduzir o que a lei fala a respeito da privação da liberdade, mas resumindo, ela é a última instância. Quando a pessoa realmente representa um perigo para si mesma, ou para a sociedade. Vejam que até assassinos, quando não são presos em flagrante delito, ou seja no ato, respondem muitas vezes em liberdade. Um dos casos mais famosos foi o do Antonio Marcos Pimenta Neves, assassino confesso (eu disse CONFESSO) da jornalista Sandra Gomide. Ele passou 10 anos livre e solto até ser condenado a quase 20 anos de cadeia. Cumpriu 5 anos e já está em regime aberto.

O que eu quero dizer, é que na minha humilde opinião, por mais que eu concorde que o Temer seja muito provavelmente um corrupto, talvez o chefe de uma quadrilha de políticos que se apropriou de milhões em dinheiro público, dinheiro este do resultado de propinas etc, a lei tem que ser igual para todos.

Ele está sendo usado como moeda de aviso aos seus pares. A grande maioria da atual liderança política do país está envolvida nos mesmos crimes. Já se vem falando de Rodrigo Maia, por exemplo, há algum tempo. Um mal de família, talvez.

Casualmente quando o STF dá um coice nos métodos da Lava Jato, retira deles uma bagatela de R$ 2,5 bilhões, o Maia dá um chega prá lá no Moro, resolvem prender o Temer em um verdadeiro ato de antropofagia. É um pouco demais para ser apenas o mero cumprimento do dever.

Se Temer vem roubando há 40 anos, então estamos diante do maior ato de improbidade administrativa de servidores públicos da história do Brasil. Como é possível que tantos policiais, promotores e juízes ao longo deste tempo nada fizeram para coibir isto? Ninguém sabia? Ninguém investigou? Quem o acobertava? Quem foram os responsáveis por afagar este suposto megacriminoso? Quem vai investigar e punir aqueles que não investigaram e não puniram podendo ter evitado a continuidade do delito criminal quase perpétuo?

Vale recordar que o Bretas é um moralista de cuecas. Ele e a esposa recebem, entre outras benesses legais, ajuda moradia, mesmo sendo casados e donos do imóvel onde residem. Este é o juiz que quer apontar o dedo para as imoralidades do Temer.

Não podemos ficar cegos aos contínuos desmandos que este pessoal de toga está nos infringindo. Isto não pode ser chamado de fazer justiça. Isto é atirar migalhas aos incautos. Ontem foi com Lula, hoje com o Temer e amanhã quem será o próximo? Justiça se faz com respeito a palavra da lei, não com livre interpretação ou a margem dela.

O Temer já deveria estar pagando por seus crimes há muito tempo. Já poderia ter sido julgado e comprovada sua culpa, trancafiado. Quarenta anos de atividade criminosa sem ser importunado é inconcebível.

Precisamos nos questionar agora é por anda a investigação do Queiroz e sua ligação com a família de mafiosos que presidem o Brasil. Quanto tempo vão levar para investigar o patrimônio dele? O que será preciso para relacionar ele com seus empregadores? O que falta para comprovar que ele agia em nome dos Bolsonaros?

Por fim eu gostaria que fosse permitido ao Temer fazer uma delação premiada. Minha proposta seria de uma redução substancial de pena e manter o patrimônio do Michelzinho em troca de trazer a luz do dia tudo o que ele fez nestes 40 anos dando nomes aos bois. Já imaginaram isso?

Fala Temer!

 

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247