Vacinas para quem te quero

O que nos move em frente diante de tantas dificuldades, tantos fracassos e desilusões?

www.brasil247.com -
(Foto: GovSP)


O que nos move em frente diante de tantas dificuldades, tantos fracassos e desilusões? O que é que nos faz manter a luta, não importa quantas batalhas foram perdidas? O que é que nos dá forças para continuar segurando as mãos dos companheiros, de juntar ombros na trincheira da resistência?

Não existe uma resposta simples para todas estas indagações. Com certeza, cada um de nós, tem seus motivos e não importa quais sejam, eles nos mantém unidos e nos fazem tratar por companheiros, camaradas, irmãos, eles nos dão um sentimento de família.

A vida é uma dádiva que precisa ser preservada a todo custo. Mesmo diante de cataclismos como a pandemia, nos colocam diante de dilemas existenciais que jamais imaginamos nos encontrar. Alguém tem o direito de não se vacinar e exercer a mesma cidadania dos demais? Permanecer na linha de frente de combate ao fascismo junto aqueles que se vacinaram?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

São poucos, é verdade, mas existe na esquerda aqueles que não aceitam se vacinar. Para eles, as explicações pseudocientíficas encontradas na Internet são convincentes. Estudos realizados por institutos desconhecidos, cientistas dos quais nunca se ouviu falar, apontando que as vacinas são perigosas, ganham importância e servem como desculpa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Como nos grupos de WhatsApp, tais notícias assumem o papel de teorias conspiratórias. Nelas, os grandes laboratórios são os vilões interessados em manter a pandemia para poderem lucrar com vacinas ineficazes e perigosas. Amplificam toda e qualquer menção a um efeito colateral que atinja 0,00001% dos vacinados. Na sua matemática é o suficiente para alardearem o mal da vacinação.

Tudo isto comprova que não se trata de uma simples estupidez. Uma pessoa capaz de enxergar todo o mal causado por um Bolsonaro, mas incapaz de ver os benefícios da vacina, pode ser tudo, menos estúpida. No entanto ela está ali, do nosso lado podendo a qualquer momento se contaminar e contaminar os demais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No grupo do Facebook, Resistência Democrática Judaica, somos 6 mil judeus contra Bolsonaro. Nem todos são de esquerda, mas todos tem em comum enxergarem todo o mal que Bolsonaro está fazendo ao país e estão juntos na luta para removê-lo do poder. Ali também enfrentamos negacionistas e foi preciso criar uma regra específica para impedir postagens que contrariassem as recomendações da OMS.

Uma coisa é criar uma regra, outra é conseguir com que ela seja obedecida. Quem vive nas mídias sociais sabe do que estou falando. Até se conseguir com que ela seja respeitada, alguns membros saem do grupo, outros são advertidos, alguns sancionados e por fim, os que tem ideia do significado de regras de convivência se calam com respeito a este assunto.

Cada vez que parece estarmos nos encaminhando para a saída do túnel, a pandemia mostra que ainda estamos longe do fim. Neste momento, por exemplo, a Inglaterra está tendo números de contaminados diários e mortes em ascendência. Na Rússia Moscou vai entrar em lockdown de uma semana.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Uma nova variante já assume o lugar da última e o vírus, como todo ser vivo, vai tratando de se adaptar para sobreviver. Cada variante é uma forma dele conseguir contaminar mais pessoas em menos tempo. Mais pessoas contaminadas, mais casos graves e consequentemente mais mortos.

Ao que tudo indica, ao menos com o que se sabe até agora, é provável que tenhamos de tomar uma nova dose de vacina a cada 6 meses, da mesma maneira como tomamos anualmente a vacina contra a gripe. Nem todos se vacinam contra gripe, é verdade, preferem correr o risco de uma gripe forte com poucos casos de óbito. O mesmo vai acontecer com a vacina contra a Covid, a diferença neste caso é que o número de óbitos será muito maior.

Dizem que a natureza é sábia, que ela encontra formas de preservar a vida nas situações mais adversas. Também dizem que de tempos em tempos ela faz uma espécie de seleção entre os seres vivos. Determina as espécies que vão continuar sobrevivendo e entre elas os seres que vão permanecer vivos e se procriando. Não sei se é verdade, ou se faz sentido, no entanto, é a vida que segue. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Eu te quero companheiro, camarada, irmão. Vacine-se.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email