YouTube equipara fascistas e democratas

"Decisão do TSE de mandar o YouTube apagar vídeo em que Lula faz críticas a Bolsonaro nasceu burra e deu filhotes", analisa Eduardo Guimarães

www.brasil247.com -
(Foto: Reuters/Dado Ruvic/Illustration)


A decisão de um juiz substituto do TSE (assumidamente bolsonarista) de mandar o YouTube apagar vídeo em que Lula faz críticas políticas a Bolsonaro nasceu burra e antidemocrática e deu filhotes da mesma natureza. 

Decisão do TSE que fez o YouTube rolar na lama gosmenta da censura tem cinco atos. No primeiro, o ministro substituto do Tribunal Superior Eleitoral Raul Araújo atendeu pedido do Partido de Bolsonaro e proibiu manifestações políticas no festival Lollapalooza, em março. 

Na Folha de São Paulo, um colunista deu o tom da indignação contra o episódio. O colunista Uirá Machado escreveu:

"É difícil saber o que pretendeu o ministro Raul Araújo com sua decisão sobre o Lollapalooza (...) Ele associou o Tribunal Superior Eleitoral, o TSE, ao espírito de censura que emana de Jair Bolsonaro, do PL, e seu entorno"

No segundo ato desse espetáculo deplorável e sob fort  pressão, o ministro bolsonarista do TSE aceita o pedido de arquivamento da ação sobre manifestações políticas no festival e revoga a própria liminar, que deu causa àquela censura. 

No terceiro ato, em nova decisão monocrática o mesmo ministro Raul Araújo ordena que o YouTube apague vídeo contendo fala do ex-presidente Lula acusando o presidente Jair Bolsonaro de "genocida". 

Mais realista do que o rei, a rede de vídeos do Google estendeu a censura contra Lula a canais do Youtube como Brasil 247, Blog da Cidadania (de autoria deste que escreve), Aquias Santarem, Click Política, Plantão Brasil, Ronny Telles e GGN. Todos eles tiveram vários vídeos censurados e apagados no rabo de foguete da censura a Lula. 

E no mesmo dia. 

A causa alegada pela rede de vídeos para censurar esse conteúdo é inacreditável. A causa teria sido esses vídeos conterem "discurso de ódio". 

Antes de abordar essa justificativa irracional e burra, é preciso dizer que, mais uma vez, o mesmo ministro bolsonarista do TSE teve que ver sua decisão questionada por seus pares. 

No quarto ato dessa ópera bufa e antidemocrática, o mesmo TSE que mandou apagar vídeo em que Lula chama Bolsonaro de "genocida" nega pedido da campanha de Bolsonaro que pediu que fosse suprimido vídeo em que o ex-presidente chama o atual de  "covarde e mentiroso".

Então é "discurso de ódio" chamar Bolsonaro de "genocida" e não é "discurso de ódio" chamá-lo de "covarde e mentiroso"? Pense melhor, TSE. Bolsonaro é tanto uma coisa quanto outras. 

No quinto ato, descobre-se que a decisão monocrática do ministro Raul Araújo que ordenou que falas de Lula acusando Bolsonaro de genocida fossem removidas das redes sociais foi duramente criticada por integrantes do TSE e por especialistas, que avaliam que ela ameaça a liberdade de expressão.

Para o Tribunal, tanto vídeos em que Bolsonaro é atacado como peças em que sejam feitas críticas a Lula devem ser analisadas com cuidado. A decisão de Araújo, segundo a maioria esmagadora do TSE, abre um "precedente perigoso". 

Decisão que vetou os vídeos de Lula que chamam Bolsonaro de "genocida" atropelou os ministros do TSE, segundo matéria de O Globo. Araújo se antecipou a colegas que costuravam solução em sentido diametralmente oposto e, por isso, o vídeo de Lula deve ser restaurado. 

O problema é que essa decisão não afetou só a Lula, mas, também, a outros canais do YouTube supra mencionados. O que acontecerá com todos esses outros vídeos? Serão restaurados? 

O que preocupa é a burrice da decisão do tal ministro bolsonarista do TSE que compara vídeos com críticas políticas a Bolsonaro a MILHARES de vídeos bolsonaristas acusando Lula de ladrão, entre outros insultos, além de pregar assassinato de esquerdistas, de ministros do STF e do TSE e golpe militar.

É uma variante da comparação que parte da mídia fazia entre Lula e Bolsonaro como sendo ambos "extremistas", o que, per si, é um absurdo rematado, pois não há um só traço de extremismo em Lula e enxergar nele tal defeito não passa de mentira e/ou delírio. 

Ver democratas tendo tratamento equivalente a fascistas e golpistas é decorrência do aparelhamento imoral e ilegal que vem sendo promovido por Bolsonaro no Judiciário, no Ministério Público, na Polícia Federal etc., e que precisa ser desfeito com urgência. 

Em eventual governo Lula, será preciso coragem para extirpar não só esse aparelhamento revoltante, mas, também, a picaretagem pseudorreligiosa, a intromissão de militares na política e o armamentismo no país.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email