Zélia Ducan, ... O Aldir

José Prudente de Almeida Filho escreve mais uma crônica, desta vez sobre a queda de Regina Duarte: "Aquela menina que canta e é papo cabeça, a Zélia Duncan, pegou ela e fez igualzinho o Garrincha na Copa de 58. Foi tanto drible que ela a talzinha saiu zonza e eu acho que pediu ou vai pedir penico".

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Capotão.

Fofoqueiro do Aldir.

“O  apreço não tem preço

Eu vivo ao Deus dará”.

Aldizinho, companheiro dos Céus. Estamos “bombando”.

O Felipe Neto que se cuide.

Ele alcança 40 milhões e eu (quase chegando lá),121 números no meu Zapzap. 

Não tenho Coluna Social (facebook) ,nem aquele dos retratos (Instagram), tampouco o  de fofoca curta (Tweet)

Aldir, meu negócio, herança paterna, é conversa ao vivo, aquela original, filosófica, de tudo,  sobre tudo e de  preferência molhando o bico. Tem mais é proibido baixo astral. Tem quer ser modelo Dada Maravilha, conversa “Solucionática”.

Nós ficamos amigos desde 1973, em Porto Alegre, quando a canção “Amigo é pra essas coisas” era sucesso absoluto.

Havia o  boteco do Walter,   gaúcho boníssimo,  eu e os mineiros, todos empregados da CAIXA ECONOMICA FEDERAL, (Vicente, O Zé Travanca,  Zé Maria) éramos plantonistas.

O Zé Maria, conhecido como o “ Desdobrador”, fez amizade com o pessoal do Boteco e fizemos uma roda eclética com gaúchos, cariocas, mineiros e eu do Ceará. Tocava demais a tua música.

Numa ocasião houve alguém dizendo que “Amigos é pra essas Coisas” seria de autoria do Chico Buarque e houve um bate-boca acirrado.

Saímos  em sua defesa e ainda deixamos claro que a música era sua em parceria com o Silvio da Silva Jr.

Aldir, tu não vai acreditar.

O “Desdobrador” percebeu que a gente podia ganhar moral no “Seboseira”, (pusemos assim o nome do boteco) e teve uma ideia genial.

Passamos a estudar Érico Veríssimo, fizemos amizade com o Mário Quintana, viramos fã do Everaldo lateral esquerdo do Grêmio e da seleção de 70, frequentamos o Batelão, para conhecer melhor a música do Lupicínio, decoramos de cor e salteado do timaço do Inter – Manga, Cláudio, Figueroa (maior zagueiro que vi jogar), Pontes, Vacaria. FALCÃO E CARPEGIANI, Escurinho. Valdomiro, Claudiomiro ( impressionante) e Lula. Incorporamos a expressão BAH!!! ao nosso vocabulário, ou seja, compreendemos a alma dos Gaúchos e gaúchas , nos livramos do etnocentrismo exacerbado.

O Zé Maira “ Desdobrador” era um gênio.

Sabe o que acabei de descobri?

O “ Desdobrador” é Bicudo (politico tucano) e foi deputado estadual em Minas Gerais. FDP Desenrolado!

Grande “ Desdobrador” você é o cara.

O Mundo tá precisando de gente assim.

Gente que desdobre, já chega de dobras, gente que agregue, até porque o  “HOMI” do Patamar superior, o Todo Poderoso, não quer nem saber.

Quando ele acha que o time dele da precisando de reforço é vatp vupt, manda buscar e não tem essa história de vou já, daqui a pouco...

Com o Todo Poderoso é assim, modelo Capa Preta.

Só prá gente ter uma ideia de como funciona, vou

contar a história do Pica-pau, o Antônio do Cego, que morreu como Luis de Sousa.

Pois bem.

O pica-pau era primo do Luis e ambos doidos por bola. Combinaram , sabiam que iriam pro Céu, que quem morresse primeiro, voltava para avisar se no Céu tinha ou não tinha futebol.

O Luis morreu e uma semana depois apareceu com a excelente notícia de que há futebol no Céu.

Aproveitou para avisar que o Pica-pau estava escalado de volante no time principal para o jogo do próximo domingo.

Com o Todo Poderoso funciona assim. Precisou de reforço... sobe.  Muda de Patamar.

Aldir, eu vou perguntar porque perguntar não ofende.

A bebida daí é vinho, né?

O Dr. Juvêncio Paiva, meu Pneumologista, anda com uma conversa mole de que eu só poderei molhar o bico no Natal ( do ano que vem).

Acho que vou trocar de médico.

Aldir, não tem aquele negócio da “vergonha alheia”

Macho véi, na nossa primeira conversa, sugeri que tu voltasse pois a Regina Duarte dissera assim: “Eu não conheço ele...”

Criatura, tu não tens a menor ideia da vergonha alheia que ela passou.

Aquela menina que canta e é papo cabeça, a Zélia Duncan, pegou ela e fez igualzinho o Garrincha na Copa de 58. Foi tanto drible que ela a talzinha saiu zonza e eu acho que pediu ou vai pedir penico.

Tá tudo na internet.

Beijo na ALMA .

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247