7.080 anos de cadeia para Spohr, 7.080 para Hoffmann, donos da ratoeira Kiss

É o mínimo que merecem os responsáveis pela tragédia para haver o mínimo de Justiça; pena máxima por homicídio qualificado é de 30 anos, vezes 236 jovens vidas; a minha Sofia estaria lá

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sofia tem 19 anos. Estuda Gastronomia. A carreira existe nas renomadas escolas superiores de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, reconhecida cidade universitária. Se estivesse estudando lá, Sofia certamente estaria com suas amigas e amigos na Kiss, na madrugada de sábado para domingo. Como os jovens que morreram, Sofia também teria chances mínimas de escapar das chamas e da fumaça pela portinhola arremedo de saída de emergência ali existente. Ainda teria de ultrapassar os seguranças que exigiam o pagamento da comandas em meio ao horror que se iniciava. Não, acho sinceramente que Sofia não teria chance.

Minha filha está aqui, mas as outras meninas e meninos que ingenuamente entraram naquela ratoeira, com o intuito de se divertir, se foram para sempre. Sinto forte dor por eles, por seus pais, suas turmas, pelos futuros ceifados. Uma dor incomparavelmente menor, é claro, da que sentem os pais, avós, irmãos e amigos que vejo pela televisão. A todos, meus sentimentos e orações se somam aos dedicados pelos brasileiros e o mundo.

O que se pode dedicar, porém, aos donos da boate Kiss? A esse moloque Elisandro (Kiko) Spohr e ao covarde sócio Maurício Hoffmann, que ainda nem apareceu para depor à polícia? Spohr foi preso nesta segunda-feira 28. Hoffmann deverá ir para o mesmo caminho. Por homicídio doloso, qualificado – sim, doloso e qualificado porque fazer funcionar uma boate naquele estado é jogar com a sorte, é arriscar a vida de quem vai, é fazer o lucro sem dar a menor contrapartida em segurança. É atentar contra a vida. O que podia acontecer, aconteceu da pior maneira. O terceiro maior incêndio em número de vítimas entre todos os que já aconteceram em casas noturnas no mundo todo em toda a história. 

Mas por quanto tempo ficarão eles presos (porque Hoffmann, quando der as caras ou for encontrado, também deverá ir para o mesmo destino de seu comparsa)?

A meu ver, numa conta rasa, o certo é que peguem 7.080 anos de cadeia cada um. Trinta anos para cada homicídio cometido. A vontade é de ir lá e matá-los, mas então seria a barbárie. Porém, tudo o que vier abaixo de 7.080 anos de cadeia para cada um deles será injusto. A pena cheia, ao contrário, estará absolutamente dentro dos parâmetros legais.

Um músico soltou um sinalizador. A tragédia se deu. Dessa tal banda Gurizada Fandangueira só um integrante morreu, o que aponta para um privilégio na escapada para quem estava no palco. Os que restaram dessa banda terão de conviver para o resto da vida com suas próprias consciências infernizadas. E que isso aconteça dentro da cadeia pelo máximo tempo possível. Apenas inocentes morreram, e estes já pagaram a maior pena de todas, com as próprias vidas.

Conheci o prefeito de Santa Maria, Cezar Schirmer, quando ele foi secretário de Fazenda do governo Pedro Simon, nos anos 1980. Está em seu segundo mandato na cidade. É do PMDB. Sofre processo por improbidade administrativa, em razão da prorrogação de contratos no setor de transportes. É o tipo do cara que tem aquele silêncio que quer ressoar inteligente, mas é apenas arrogante, sabem como é? Fico ciente agora, quando escrevo, que ele prometeu ir, mas não compareceu a audiência pública realizada na Câmara Municipal, que ficou lotada, para discutir a questão dos ônibus. Silêncio e omissão. Covardia. Suspeita de ladroagem. Ele também é culpado pela tragédia da Kiss, porque deixou aquela casa abrir as portas sem alvará. Até agora, não se conhece nenhuma declaração dele sobre o caso. Quem está falando é o vice.

Cezar Schirmer, só a renúncia é uma atitude minimamente digna para você. Mas duvido que você supere a tua covardia para fazer o que é decente. O inferno da consciência para você também.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247