A 6 meses das eleições, comandante do Exército volta a falar em “ameaças à democracia”

General Eduardo Villas Bôas, que na véspera do julgamento do recurso do ex-presidente Lula postou nas redes sociais que a instituição se mantinha "atenta às suas missões institucionais", no que foi entendido como uma ameaça velada ao STF, voltou a dizer que o Exército não pode ficar "indiferente" "às reais ameaças à democracia"; "Não podemos ficar indiferentes aos mais de 60 mil homicídios por ano; à banalização da corrupção; à impunidade; à insegurança ligada ao crescimento do crime organizado; e à ideologização dos problemas nacionais. São essas às reais ameaças à nossa democracia" disse

www.brasil247.com - villas boas 
temer
villas boas  temer (Foto: Paulo Emílio)


247 - O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, que na véspera do julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva postou nas redes sociais que a instituição compartilhava "o anseio de todos os cidadãos de bem de repúdio à impunidade e de respeito à Constituição, à paz social e à Democracia, bem como se mantém atento às suas missões institucionais", no que foi entendido como uma ameaça velada ao Supremo Tribunal Federal (STF), voltou a dizer que o Exército não pode ficar "indiferente" "às reais ameaças ´´a nossa democracia".

A afirmação de Villas Bôas foi feita durante uma cerimônia em comemoração ao Dia do Exército, celebrado nesta quinta-feira (19), na qual Michel Temer estava presente. "Não podemos ficar indiferentes aos mais de 60 mil homicídios por ano; à banalização da corrupção; à impunidade; à insegurança ligada ao crescimento do crime organizado; e à ideologização dos problemas nacionais. São essas às reais ameaças à nossa democracia e contra as quais precisamos nos unir efetivamente, para que não retardem o desenvolvimento e prejudiquem a estabilidade", disse o general.

Apesar disso e faltando seis meses para a eleição presidencial de outubro, Villas Bôas disse que cabe ao povo definir o seu destino nas urnas. "O momento requer equilíbrio, conciliação, respeito, ponderação e muito trabalho. Nas eleições que se aproximam, caberá à população definir, de forma livre, legítima, transparente e incontestável, a vontade nacional. Definido o resultado da disputa, unamo-nos como Nação. Será esse o caminho para agregar valores, engrandecer a cidadania e comprometer os governantes com as aspirações legítimas de seu povo. O Exército acredita nesse postulado", completou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email