"A gente não deve abrir mão desses recursos", diz Maia sobre ajuda do G7

"A gente não deve abrir mão desses recursos nunca do meu ponto de vista", afirmou o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ao comentar a decisão anunciada pelo governo Jair Bolsonaro de recusar os recursos destinados pelo G7 para o combate à queimadas na Amazônia

Rodrigo Maia (DEM-RJ)
Rodrigo Maia (DEM-RJ) (Foto: LUIS MACEDO)

247 - Diferentemente do que defende o governo Jair Bolsonaro, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que o Brasil "não deve abrir mão de nenhum real" para combater queimadas na Amazônia.

"O Brasil não deve abrir mão de nenhum real. A situação do Orçamento federal, dos estados, dos municípios, da maioria dos entes da federação é dramática", declarou Maia.

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e a assessoria da Presidência da República informaram que o Brasil rejeitaria a ajuda aprovada pelo G7, de cerca US$ 20 milhões, anunciada nesta segunda (26) pelo presidente da França, Emmanuel Macron. Jair Bolsonaro, por sua vez, disse que aceita a ajuda de Macron retirar o que chamou de "insultos" proferidos pelo presidente francês.

Maia disse ainda que a decisão sobre aceitar o recurso não é exclusividade de Bolsonaro, mas o Brasil e disse que a crise entre Macron e Bolsonaro se transformaram em algo pessoal.

"A gente não deve abrir mão desses recursos nunca do meu ponto de vista. Acho que o conflito, que acabou indo um pouco para o lado pessoal entre os dois presidentes, não é bom para o Brasil, não é bom para a França", acrescentou.

Maia defendeu que parte fundo da Petrobras, que está em discurssão no Supremo Tribunal Federal, seja destinado ao combate a queimadas na Amazônia.

"Como a minha expectativa muito grande amanhã da decisão do ministro Alexandre de Moraes, que eu acredito que poderá, se decidir a favor, tomará uma decisão histórica", disse.

Com informações do G1.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247