A vitória do nada: brancos e nulos no poder

"A grande possibilidade de recorde de votos brancos, nulos e abstenções que poderão produzir muitíssimas surpresas desagradáveis" nas eleições de outubro, diz o jornalista e analista político Marcos Verlaine

"A grande possibilidade de recorde de votos brancos, nulos e abstenções que poderão produzir muitíssimas surpresas desagradáveis" nas eleições de outubro, diz o jornalista e analista político Marcos Verlaine
"A grande possibilidade de recorde de votos brancos, nulos e abstenções que poderão produzir muitíssimas surpresas desagradáveis" nas eleições de outubro, diz o jornalista e analista político Marcos Verlaine (Foto: Leonardo Lucena)

247 - "A 4 meses das eleições de outubro já é possível antecipar uma tragédia anunciada", escreve o jornalista e analista político Marcos Verlaine, no Portal Vermelho.

Segundo ele, "a grande possibilidade de recorde de votos brancos, nulos e abstenções que poderão produzir muitíssimas surpresas desagradáveis no pleito".

"As eleições municipais de 2016 deram mostras palpáveis dessa preocupação. Nos maiores colégios eleitorais, os eleitos, inclusive no 1º turno, perderam para os votos brancos, nulos e abstenções, que na ciência política, são chamados de voto alienado. Isto é, a maioria não elegeu ninguém! Preferiram o nada", complementa.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247