'Acabou a competência universal da República de Curitiba', diz Carol Proner

"Começamos a restabelecer a dignidade soberana". "Chega de vendilhões!", enfatizou a jurista e professora da UFRJ, Carol Proner, classificando como um avanço a decisão da PGR de abrir um procedimento para investigar os atos praticados pelos procuradores da Lava Jato que tentaram criar um fundo de R$ 2,5 bilhões com dinheiro da Petrobrás    

'Acabou a competência universal da República de Curitiba', diz Carol Proner
'Acabou a competência universal da República de Curitiba', diz Carol Proner

247 - A jurista e professora da UFRJ, Carol Proner, considerou um avanço a decisão da Procuradoria-Geral da República (PGR) de, por meio da corregedoria, abrir um procedimento para analisar os atos praticados por procuradores da Lava Jato que tentaram criar um fundo de R$ 2,5 bilhões com dinheiro da Petrobrás, o que foi considerado desvio de dinheiro público e uma afronta à Constituição.

"Acabou a competência universal da República de Curitiba!", escreveu a professora, que também integra a Associação de Juristas Pela Democracia.

Para ela, a decisão demonstra que "começamos a restabelecer a dignidade soberana". "Chega de vendilhões!", enfatizou.

Segundo a professora, o procurador Deltan Dallagnol, idealizador da criação da fundação, "é aquele do power point, o picareta que achincalhou a imagem do Ministério Público a ponto de despertar horror e vergonha entre os pares". Ele se refere ao material produzido em PowerPoint pela força-tarefa da Lava Jato de Curitiba para acusar o ex-presidente Lula de comandar uma quadrilha. O material, como os próprios procuradores admitiram, foi baseado em convicções, não em provas.

  

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247