Acordo abre licitações em solo brasileiro para empresas europeias

O acordo comercia entre Mercosul e União Europeia estabelece que empresas de um dos blocos participem de licitações e de compras governamentais do outro. Se entrar em vigor, o tratado deve abrir as portas para que empresas europeias participem em pé de igualdade com companhias brasileiras em concorrências públicas no país, um mercado de R$ 78 bilhões por ano só no âmbito da União.

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O acordo comercia entre Mercosul e União Europeia estabelece que empresas de um dos blocos participem de licitações e de compras governamentais do outro. Se entrar em vigor, o tratado deve abrir as portas para que empresas europeias participem em pé de igualdade com companhias brasileiras em concorrências públicas no país, um mercado de R$ 78 bilhões por ano só no âmbito da União.

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca que "pelo novo acordo, empresas europeias poderão participar de licitações no Brasil como se fossem brasileiras e vice-versa. Hoje, os governos podem estabelecer travas que impedem ou dificultam a entrada de concorrentes estrangeiros, protegendo companhias nacionais."

A matéria ainda acrescenta que "o texto negociado determina que as empresas europeias não poderãoreceber tratamento discriminatório nos processos de compras públicas nos membros do Mercosul —Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai. O mesmo vale para empresas da aliança sul-americana que queiram competir no mercado de licitações da União Europeia, que movimenta cerca de € 1,3 trilhão ao ano."

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247