Acusado de vários crimes na internet continuará na prisão

Denunciado e preso em flagrante por racismo, apologia ao estupro e ao homicídio, terrorismo, entre outros crimes, principalmente virtuais, Marcelo Valle Silveira Mello vai continuar na cadeia; de acordo com o juiz federal da 14.ª Vara do Paraná, Marcos Josegrei, o investigado "não tem a menor intenção de colaborar com as investigações

Denunciado e preso em flagrante por racismo, apologia ao estupro e ao homicídio, terrorismo, entre outros crimes, principalmente virtuais, Marcelo Valle Silveira Mello vai continuar na cadeia; de acordo com o juiz federal da 14.ª Vara do Paraná, Marcos Josegrei, o investigado "não tem a menor intenção de colaborar com as investigações
Denunciado e preso em flagrante por racismo, apologia ao estupro e ao homicídio, terrorismo, entre outros crimes, principalmente virtuais, Marcelo Valle Silveira Mello vai continuar na cadeia; de acordo com o juiz federal da 14.ª Vara do Paraná, Marcos Josegrei, o investigado "não tem a menor intenção de colaborar com as investigações (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Denunciado e preso em flagrante por racismo, apologia ao estupro e ao homicídio, terrorismo, entre outros crimes, principalmente virtuais, Marcelo Valle Silveira Mello vai continuar na cadeia.

Ao manter a prisão, o juiz federal da 14.ª Vara do Paraná, Marcos Josegrei, destacou haver "robustos elementos que apontam para a participação de Mello em grupos denominados ‘Homens Sanctos’ e ‘Homemdebem’ que habitualmente divulga/publica/posta em diversos canais da internet/ambientes virtuais (em especial no site www.silviokoerich.org) material de conteúdo racista (com incitação à violência contra negros, homossexuais e mulheres) e contendo apologia aos crimes de estupro, homicídio e abuso sexual contra crianças e adolescentes".

De acordo com o magistrado, o investigado "não tem a menor intenção de colaborar com as investigações, uma vez que deixou de fornecer as senhas corretas para acesso ao conteúdo do material apreendido durante as buscas que estão criptografados, zombando, inclusive, da equipe da Polícia Federal". Os relatos foram publicados no blog do Fausto Macedo.

"Afirmou, ainda ‘que poderia pegar vários anos de prisão, mas que em hipótese nenhuma entregaria seus amigos’, dando a entender que o conteúdo das máquinas apontaria para crimes perpetrados também por outros indivíduos", disse.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247