AD Junior: “Há pouco tempo, os brancos não consideravam os negros seres humanos”

Ativista digital envolvido na causa antirracista, o comunicador AD Junior fala à TV 247 sobre a importância do engajamento dos brancos neste movimento e elogia ações de influenciadores brancos na internet que têm doado seu espaço para pessoas negras

AD Júnior
AD Júnior (Foto: Divulgação | Pilar Olivares/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Nêggo Tom, 247 - Entrevistado de estreia do programa “Um Tom de resistência”, na TV 247, o comunicador e ativista digital AD Júnior falou sobre o racismo estrutural em nossa sociedade e sobre o papel dos brancos na luta antirracista. Segundo ele, “os brancos brasileiros estão repensando a sua história, que foi contada de uma forma totalmente contrária ao que aconteceu” e sob essa nova visão, estariam começando a compreender que sempre foram privilegiados e tiveram vantagens sociais e educacionais sobre os pretos.

Mesmo estando ciente de que os brancos ainda não possuem toda essa lucidez histórica, para assimilar de imediato os fatores que determinaram a desigualdade racial no Brasil, AD Junior acredita que o momento é propício a esse diálogo e que o mito da democracia racial começa a cair a partir desse processo de conscientização que a branquitude está passando. “Agora eles começaram a fazer análises críticas sobre eles mesmos. O branco não gosta de ser objeto de estudo. Só ele que estuda. Ele que sempre foi o dono do pensamento crítico, agora começa a rever os seus conceitos”.

AD Júnior também falou sobre os pretos negacionistas do racismo, mas lembrou que nesse caso um “choque de realidade” geralmente os traz 'de volta ao norte'. “Sobre os nossos irmãos pretos que são negacionistas, eu acredito que em algum momento eles voltam, pois a realidade da população preta no Brasil os obrigará a isso", disse. Sempre haverá alguma situação próxima, ou até, com eles mesmos, que fará com que se deem conta de que a estrutura não foi feita para nos dar espaço, e, a todo momento, tenta nos lembrar disso, acrescentou.

Ele também comentou as declarações do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que chamou os manifestantes antirracistas de “brutamontes” e os acusou de tentarem destruir a herança histórica norte-americana, derrubando estátuas e monumentos. “Donald Trump sempre foi racista. O que sai da cabeça de uma pessoa dessas, ao dizer que os antirracistas querem apagar a história dos EUA? Não! A gente quer reavaliar. Nem é fazer uma releitura. É reavaliar a partir de qual momento a gente decidiu homenagear racista com estátua.” Ele ainda lembrou que na Alemanha não há qualquer tipo homenagem ou referência histórica que possa ser vista como herança do período nazista.

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra: 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247