Afrânio: Argentina nos ajudará a barrar o fascismo na América do Sul

"O candidato, publicamente apoiado pelo nosso ex-capitão tosco e truculento, foi repudiado pelo consciente povo argentino. Se Trump também for derrotado, no próximo ano, voltaremos a sonhar por um mundo melhor", acrescenta o jurista Afrânio Silva Jardim após a chapa progressista Alberto Fernández-Cristina Kirchner derrotar o presidente Mauricio Macri na prévia presidencial argentina

Por Afrânio Silva Jardim, em seu Facebook

ARGENTINA. ELEIÇÕES PRIMÁRIAS. O NEOLIBERALISMO É DERROTADO COM BOA MARGEM DOS VOTOS POPULARES.

Estou radiante. Estou feliz. Argentina, Uruguai, Bolívia e Venezuela vão nos ajudar a barrar o fascismo na América do Sul.

O candidato, publicamente apoiado pelo nosso ex-capitão tosco e truculento, foi repudiado pelo consciente povo argentino. Se Trump também for derrotado, no próximo ano, voltaremos a sonhar por um mundo melhor.

Confesso que esta onda fascista e obscurantista já começava a tirar o meu "tesão" pela vida. Vamos ressuscitar das cinzas e abrir caminho para as novas gerações lutarem por um outro modelo de sociedade, sem tantas injustiças como a nossa atual.

Vamos apostar em uma nova realidade em nosso continente. A esperança e a poesia vão voltar e vamos ter condições para mudar este lastimável estado de coisas que nos sufoca aqui no Brasil.

Vamos para as ruas nesta terça-feira. Vamos mostrar a este governo de extrema direita que ele não tem o apoio da maioria dos brasileiros.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247