Afrânio: nossa comunidade jurídica não pode cair no engodo dos EUA

"Vejam como os Estados Unidos, habilmente, cooptam os membros das instituições que atuam em nosso sistema de justiça criminal. Curso gratuito, em harvard, sobre "Colaboração premiada e práticas anti corrupção: estratégicas judiciais em persecução penal", critica o jurista; "A nossa comunidade jurídica não pode cair neste engodo. Este processo penal negocial viola o nosso Estado de Direito e agride a nossa já combalida democracia"

Afrânio: nossa comunidade jurídica não pode cair no engodo dos EUA
Afrânio: nossa comunidade jurídica não pode cair no engodo dos EUA
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Afrânio silva Jardim, em seu Facebook

VEJAM COMO OS ESTADOS UNIDOS, HABILMENTE, COOPTAM OS MEMBROS DAS INSTITUIÇÕES QUE ATUAM EM NOSSO SISTEMA DE JUSTIÇA CRIMINAL.

CURSO GRATUITO, EM HARVARD, SOBRE "COLABORAÇÃO PREMIADA E PRÁTICAS ANTI CORRUPÇÃO: ESTRATÉGIAS JUDICIAIS EM PERSECUÇÃO PENAL".

Não é de hoje que venho advertindo sobre esta estratégia dos Norte Americanos no sentido de mitigar o princípio da legalidade no processo penal, aumentando a discricionariedade em nosso ordenamento jurídico.

Isto é muito útil para o Lawfare que está se disseminando em toda a América Latina.

Querem substituir o nosso "devido processo legal" por um negócio jurídico processual, sem qualquer mecanismo efetivo de controle. Vale dizer, execução penal por título extrajudicial !!!

A nossa comunidade jurídica não pode cair neste engodo. Este processo penal negocial viola o nosso Estado de Direito e agride a nossa já combalida democracia. Processo penal não pode ser usado como instrumento de perseguição, mormente perseguição política !!!

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email