Altman: lei antiterrorismo visa perseguir o PT e os movimentos sociais

Futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro tem trabalhado para aprovar no Congresso, ainda em 2018, projeto de lei sobre medidas contra  o terrorismo; à TV 247, o jornalista Breno Altman afirma que "a ideia de combate ao terrorismo no Brasil é uma ficção, ao contrário de países europeus que realmente possuem uma ameaça real de ataques"; ele destaca que "o que existe, na prática, é um pretexto para combater os movimentos sociais e a esquerda"; assista

Altman: lei antiterrorismo visa perseguir o PT e os movimentos sociais
Altman: lei antiterrorismo visa perseguir o PT e os movimentos sociais

247 - "A lei antiterrorismo visa perseguir o PT e os movimentos sociais". Esse é o alerta do jornalista Breno Altman, em uma crítica direta ao futuro ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro. Em análise à TV 247, ele também conclama a resistência: "o fascismo só se enfrenta pela força das ruas. Sem a perspectiva da desobediência civil e rebelião popular, o neofascismo de consolida". 

Na última semana, Fernando Haddad encontrou-se com o senador democrata Bernie Sanders para compor a Frente Democrática Internacionalista. Altman considera a frente uma boa iniciativa, mas pondera que não pode ser superdimensionada.

"Tal composição precisa ter força real e não ficar apenas nas ideias, e países como a China, Rússia, Venezuela e Cuba possuem esse poder, mas não foram convidados", declara.

O jornalista comenta também a cobrança de alguns setores, como a mídia, para que o PT faça autocrítica. Para ele, por trás de uma autocrítica, existe a movimentação para que a sigla assuma crimes que não cometeu ou se desvirtue para a centro-direta. "Há uma pressão para que o PT se transforme num PSDB envernizado", aponta.

"Esse tipo de autocrítica é inaceitável, outros tipo de erros nós avaliamos, como, por exemplo, os erros econômicos cometidos no governo Dilma", acredita.

Sérgio Moro faz pressão para 'endurecer' terrorismo 

Futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro tem trabalhado para aprovar no Congresso, ainda em 2018, projeto de lei sobre medidas contra  o terrorismo.

Altman considera que não existe intenção alguma de combate ao terrorismo no Brasil, ao contrário de países europeus que realmente possuem uma ameaça real de ataques. "Não existe terrorismo no Brasil, isso é uma ficção. O que existe é um pretexto para combater os movimentos sociais e a esquerda", denuncia. 

"Qualquer medida anti-democrática deve ser combatida e rechaçada. O Brasil possui uma capa democrática e, em seu interior, forma-se um regime de exceção", alerta, 

Altman conclui que a única saída para combater a situação temerosa que o Brasil se encontra é através da mobilização popular. "O fascismo só se enfrenta pela força das ruas. Sem a perspectiva da desobediência civil e rebelião popular, o neofascismo de consolida", alerta . 

Inscreva-se na TV 247 e confira a íntegra da entrevista: 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247