Altman sobre a CNV: não basta chorar pelos mortos

Em novo artigo, o jornalista Breno Altman, editor do Opera Mundi e colunista do 247, defende o trabalho da Comissão Nacional da Verdade, mas afirma que ele não se esgota no relatório; "O passo seguinte deveria ser a proposição, ao Congresso Nacional, de emenda constitucional que reforme a Lei de Anistia, permitindo o pronto ajuizamento de ações contra torturadores e assassinos", diz ele; "Mais uma vez, não há tempo para ter medo. A democracia refuta a revanche, mas exige justiça"; leia a íntegra

Comissão Nacional da Verdade (CNV) entrega o relatório final dos trabalhos à presidenta Dilma Rousseff (Antonio Cruz/Agência Brasil)
- Assuntos: Comissão da Verdade, Dilma, Justiça, relatório
Comissão Nacional da Verdade (CNV) entrega o relatório final dos trabalhos à presidenta Dilma Rousseff (Antonio Cruz/Agência Brasil) - Assuntos: Comissão da Verdade, Dilma, Justiça, relatório (Foto: Aline Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Breno Altman, editor do Opera Mundi e colunista do 247, elogia o trabalho da Comissão Nacional da Verdade, mas pede que o passo seguinte: a revisão da Lei de Anistia e a punição de agentes da repressão.

"Trata-se do mais importante levantamento já feito sobre aquele sombrio período da história brasileira. Sua relevância maior, porém, está no caráter estatal do relatório que sintetiza o formidável trabalho realizado desde 2012", diz ele.

Altman comentou, ainda, o choro da presidente Dilma Rousseff na cerimônia de ontem. "Era o choro de uma mulher que entregou sua juventude à resistência contra o regime militar. Que sofreu prisão e tortura. Que viu muitos de seus companheiros caírem em combate ou serem assassinados. Que não teve, na época, tempo para o medo e para o pranto dos camaradas tombados. A presidente tem direito às lágrimas. Fez por merecê-lo, com toda honra e valentia de sua história pessoal. Mas ao país não bastam as lágrimas da presidente", diz ele.

"O passo seguinte deveria ser a proposição, ao Congresso Nacional, de emenda constitucional que reforme a Lei de Anistia, permitindo o pronto ajuizamento de ações contra torturadores e assassinos. Mais uma vez, não há tempo para ter medo. A democracia refuta a revanche, mas exige justiça. Não basta chorar nossos mortos para que o golpismo e o terrorismo de Estado sucumbam à valentia e o heroísmo dos que, como Dilma, se ergueram contra a tirania."

Leia a íntegra em Não basta chorar pelos mortos.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247