Após avanço na Argentina, Bolsonaro diz que lutará contra o aborto no Brasil

“Lamento profundamente pelas vidas das crianças argentinas, agora sujeitas a serem ceifadas no ventre de suas mães com anuência do Estado”, afirmou Jair Bolsonaro ao atacar o avanço da pauta do aborto na Argentina

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: Isac Nobrega - PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Após a avanço da pauta do aborto na Argentina, Jair Bolsonaro declarou, em suas redes sociais, nesta quarta-feira, 30, que irá lutar contra a medida no Brasil, onde a medida é permitida apenas em alguns casos em que haja risco de saúde.

“Lamento profundamente pelas vidas das crianças argentinas, agora sujeitas a serem ceifadas no ventre de suas mães com anuência do Estado”, afirmou. 

“No que depender de mim e do meu governo, o aborto jamais será aprovado em nosso solo”, destacou. “Lutaremos sempre para proteger a vida dos inocentes”, exclamou.

A legalização do aborto é uma medida fundamental para garantir os direitos das mulheres sobre o seu próprio corpo e assegurá-lhes um procedimento sem risco de vida, uma vez que, mesmo com a proibição, milhares de mulheres brasileiros já realizam o procedimento de forma clandestina.

Na Argentina, o Senado aprovou, nesta quarta, a lei que legaliza o aborto até a 14ª semana de gestação. Com 38 votos a favor, 29 contra e uma abstenção, a Casa converteu em lei a interrupção voluntária da gravidez.

A lei também estipula um prazo máximo de dez dias entre a solicitação e a realização da interrupção da gravidez.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email