Após liberar dinheiro para aliados, Temer e Meirelles aumentam impostos

Após liberar mais de R$ 1 bilhão em emendas parlamentares e aceitar rediscutir bilhões em débitos de empresas com a União, Michel Temer e a equipe econômica assinaram o decreto que autoriza o aumento de impostos e tributos sobre os combustíveis; objetivo do governo é arrecadar cerca de R$ 11 bilhões com a elevação do PIS/Cofins da gasolina, diesel e etanol; déficit previsto para este ano é da ordem de R$ 139 bilhões

Michel Temer e Henrique Meirelles
Michel Temer e Henrique Meirelles (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Após liberar mais de R$ 1 bilhão em emendas parlamentares e aceitar rediscutir bilhões em débitos de empresas com a União, Michel Temer e a equipe econômica assinaram o decreto que autoriza o aumento de impostos e tributos sobre os combustíveis. Objetivo do governo é arrecadar cerca de R$ 11 bilhões com a elevação do PIS/Cofins da gasolina, diesel e etanol.

O aumento de impostos já vinha sendo ventilado devido à dificuldade do governo em cobrir o déficit das contas públicas em decorrência da queda na atividade econômica e pela dificuldade do governo em aprovar medidas consideradas essenciais como a aprovação do novo Refis e a reoneração da folha de pagamentos. O déficit previsto para este ano é da ordem de R$ 139 bilhões.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email