Após liberar dinheiro para aliados, Temer e Meirelles aumentam impostos

Após liberar mais de R$ 1 bilhão em emendas parlamentares e aceitar rediscutir bilhões em débitos de empresas com a União, Michel Temer e a equipe econômica assinaram o decreto que autoriza o aumento de impostos e tributos sobre os combustíveis; objetivo do governo é arrecadar cerca de R$ 11 bilhões com a elevação do PIS/Cofins da gasolina, diesel e etanol; déficit previsto para este ano é da ordem de R$ 139 bilhões

Michel Temer e Henrique Meirelles
Michel Temer e Henrique Meirelles (Foto: Paulo Emílio)

247 - Após liberar mais de R$ 1 bilhão em emendas parlamentares e aceitar rediscutir bilhões em débitos de empresas com a União, Michel Temer e a equipe econômica assinaram o decreto que autoriza o aumento de impostos e tributos sobre os combustíveis. Objetivo do governo é arrecadar cerca de R$ 11 bilhões com a elevação do PIS/Cofins da gasolina, diesel e etanol.

O aumento de impostos já vinha sendo ventilado devido à dificuldade do governo em cobrir o déficit das contas públicas em decorrência da queda na atividade econômica e pela dificuldade do governo em aprovar medidas consideradas essenciais como a aprovação do novo Refis e a reoneração da folha de pagamentos. O déficit previsto para este ano é da ordem de R$ 139 bilhões.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247