Após morte de catador, Boulos critica autoridades: vergonha

O líder do MTST, Guilherme Boulos, criticou o Estado brasileiro e o Rio de Janeiro após a morte do catador Luciano Macedo, atingido  ao tentar ajudar a família de Evaldo Rosa, músico morto pelo Exército em Guadalupe, Zona Norte do município do Rio; "Mais uma vítima dos 80 tiros. O catador Luciano Macedo foi tentar ajudar Evaldo Rosa e seus familiares. Minha solidariedade aos familiares. Vergonha!", disse

Após morte de catador, Boulos critica autoridades: vergonha
Após morte de catador, Boulos critica autoridades: vergonha
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, criticou o Estado brasileiro e o Rio de Janeiro após a morte do catador Luciano Macedo, atingido  ao tentar ajudar a família de Evaldo Rosa, músico morto pelo Exército no último dia 7, em Guadalupe, Zona Norte do município do Rio. Os agentes confundiram o carro com assaltantes.

"Mais uma vítima dos 80 tiros. O catador Luciano Macedo foi tentar ajudar Evaldo Rosa e seus familiares. Minha solidariedade aos familiares. Vergonha!", disse o ativista no Twitter.

A Justiça Militar está responsável pelas investigações.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247