Após repercussão negativa, Luislinda desiste de viagem à Suíça

A ex-ministra dos Direitos Humanos Luislinda Valois enviou uma carta à Casa Civil desistindo de viagem que faria para a Suíça no sábado (24); após a extinção do Ministério de Direitos Humanos, ela foi exonerada do cargo, mas Temer a designou para representar o país na 37ª Sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra; os custos seriam todos pagos pelos cofres públicos

Brasília - A ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois divulga o balanço do Disque 100, com dados de violações de direitos humanos de todo o país (Marcello Casal Jr./Agência Brasil)
Brasília - A ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois divulga o balanço do Disque 100, com dados de violações de direitos humanos de todo o país (Marcello Casal Jr./Agência Brasil) (Foto: Leonardo Lucena)

247 - A ex-ministra dos Direitos Humanos Luislinda Valois enviou nesta terça-feira (21) uma carta à Casa Civil desistindo de viagem que faria para a Suíça no sábado (24).

Após a extinção do Ministério de Direitos Humanos, ela foi exonerada do cargo na segunda-feira (19), mas Michel Temer a designou para representar o país na 37ª Sessão do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas, em Genebra. Os custos seriam todos pagos pelos cofres públicos.

De acordo com apuração da Folha, o emedebista atendeu a  um pedido de Luislinda que, mesmo depois de exonerada, argumentou que deveria participar da viagem porque já estava em tratativas avançadas para a reunião. Ela recuou diante da repercussão negativa de sua presença no encontro.

"Ela não vai à Suíça. Eu conversei pessoalmente com ela e ela disse que não queria ir", disse o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247