Após tirar da Lava Jato, Gilmar Mendes manda caso Baldy para Justiça Eleitoral de Goiás

Após determinar a soltura de Alexandre Baldy e suspender o processo contra ele na Lava Jato do Rio de Janeiro, o ministro Gilmar Mendes, do STF, determinou enviar o caso para a Justiça Eleitoral de Goiás

Alexandre Baldy
Alexandre Baldy (Foto: GOVSP)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Após determinar a soltura de Alexandre Baldy e suspender o processo contra ele na Lava Jato do Rio de Janeiro, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou enviar o caso contra o secretário de Transportes do governo João Dória para a Justiça Eleitoral de Goiás.

O juiz eleitoral que receber o caso irá avaliar se mantém ou anula as provas colhidas em agosto, quando foi preso. Baldy é suspeito de receber ao menos R$ 2,6 milhões em propina. O secretário do governo paulista foi acusado de receber propina em três esquemas.

Em 2014, ele teria recebido R$ 500 mil para liberar pagamentos atrasados do governo de Goiás a uma organização social que geria o Hospital de Urgência da Região Sudoeste. 

De acordo com o Ministério Público Federal, ele recebeu R$ 960,4 mil para direcionar à empresa Vertude licitação da Junta Comercial de Goiás. A empresa ainda teria pago a ele R$ 1,1 milhão, entre 2016 e 2018, para ganhar um contrato na Fiocruz.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247