Aragão: “Mais uma vítima do punitivismo”

Para o ex-ministro da Justiça, Eugênio Aragão, o reitor da UFSC, Luís Carlos Cancellier, é "mais uma vítima do punitivismo penal"; Cancellier, acusado de desvios na aplicação de recursos federais na universidade, foi encontrado morto nesta segunda-feira (02) em Florianópolis

Para o ex-ministro da Justiça, Eugênio Aragão, o reitor da UFSC, Luís Carlos Cancellier, é "mais uma vítima do punitivismo penal"; Cancellier, acusado de desvios na aplicação de recursos federais na universidade, foi encontrado morto nesta segunda-feira (02) em Florianópolis
Para o ex-ministro da Justiça, Eugênio Aragão, o reitor da UFSC, Luís Carlos Cancellier, é "mais uma vítima do punitivismo penal"; Cancellier, acusado de desvios na aplicação de recursos federais na universidade, foi encontrado morto nesta segunda-feira (02) em Florianópolis (Foto: Charles Nisz)

Blog do Esmael Morais - O ex-ministro da Justiça Eugênio Aragão afirmou que o reitor da UFSC, Luís Carlos Cancellier, foi vítima do ‘punitivismo’ do Estado. “Mais uma vítima do punitivismo”, declarou ao Blog do Esmael. Cancellier foi encontrado morto na manhã desta segunda-feira (2), em Florianópolis, no Beiramar Shopping.

O reitor tinha sido preso em 14 de setembro pela Operação Ouvidos Moucos, que investiga supostas irregularidades na aplicação de recursos federais recebidos pela Universidade para curso de Ensino a Distância. Na quinta-feira (28), Luís Carlos Cancellier escrevera n’O Globo artigo no qual afirmara que era um “reitor exilado”.

“No mesmo período em que fomos presos, levados ao complexo penitenciário, despidos de nossas vestes e encarcerados, paradoxalmente a universidade que comando desde maio de 2016 foi reconhecida como a sexta melhor instituição federal de ensino superior brasileira”, desabafou num trecho do artigo.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247