Aragão: MP não deveria ter espaço para Dallagnols

Durante debate na CPI da JBS, no Congresso, o ex-ministro da Justiça Eugênio Aragão fez uma crítica ao coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato, o procurador Deltan Dallagnol, ao afirmar que o Ministério Público não deveria dar espaço para "heróis do eu sozinho"; "O MP não deveria ter espaço para Dallagnols, para o eu, os heróis do eu sozinho" disse

Eugênio Aragão
Eugênio Aragão (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-ministro da Justiça Eugênio Aragão criticou duramente o coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato, o procurador Deltan Dallagnol, ao afirmar que o Ministério Público não deveria dar espaço para "heróis do eu sozinho".

"O MP não deveria ter espaço para Dallagnols, para o eu, os heróis do eu sozinho", disse, durante debate organizado pela CPI da JBS, no Congresso.

Aragão também condenou o sigilo em torno das delações premiadas e a suposta "união" entre a Polícia Federal, Ministério Público e juízes nas chamadas forças-tarefas. Além de Aragão, o debate na CPI da JBS teve como objetivo ouvir os críticos dos abusos do uso do mecanismo da delação premiada.

Além do ex-ministro, também participaram da audiência os professores Alexandre Morais da Rosa, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Aury Celso Lima Lopes Júnior, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), e o professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Jacinto Nelson de Miranda Coutinho.

"A banalização da delação é o reconhecimento da incompetência do estado em investigar e punir crimes", criticou Lopes Júnior.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247