Araújo encampa ideologia dos EUA e fala em grupos terroristas na América do Sul

Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que voltou de uma viagem aos Estados Unidos junto com o presidente Jair Bolsonaro, encampou a tese dos EUA de que existem grupos terroristas na região; "Até recentemente, não se admitia que havia terroristas na América do Sul. Hoje, sabe-se que isso é uma ameaça, um dos problemas do colapso venezuelano", disse; declaração mostra mais um sinal de alinhamento aos interesses norte-americanos, especialmente na deposição do presidente venezuelano Nicolás Maduro

Araújo encampa ideologia dos EUA e fala em grupos terroristas na América do Sul
Araújo encampa ideologia dos EUA e fala em grupos terroristas na América do Sul (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que voltou de uma viagem aos Estados Unidos junto com o presidente Jair Bolsonaro, afirmou que existem grupos terroristas na América do Sul, especialmente na Venezuela. A declaração mostra mais um sinal de alinhamento da atual política externa brasileira aos interesses norte-americanos, já que até então o Brasil jamais havia aceito a tese dos EUA sobre atuação de grupos terroristas na tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina em Foz do Iguaçu(PR).

"Até recentemente, não se admitia que havia terroristas na América do Sul. Hoje, sabe-se que isso é uma ameaça, um dos problemas do colapso venezuelano", disse Araújo. O chanceler, contudo, não citou quais grupos estariam atuando na região. Atualmente o Brasil só reconhece dois grupos terroristas, o Estado Islâmico e a al-Qaeda

Apesar do alinhamento aos EUA no tocante à Venezuela, Araújo voltou a negar que o Brasil deva aderir a uma invenção militar no país, embora tenha defendido a imposição de novas sanções contra o governo do presidente Nicolás Maduro. "Não, absolutamente. De forma nenhuma", disse sobre uma possível atuação do Brasil em uma intervenção na Venezuela encabeçada pelos Estados Unidos.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247