Araújo usa EUA como exemplo do que pode acontecer no Brasil 'se conservadores forem silenciados'

“Quando as pessoas se sentem sufocadas na sua capacidade de falar e ouvir, isso pode causar sérios problemas em qualquer país”, disse o ministro das Reçações Exteriores, Ernesto Araújo

(Foto: ABr | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, utilizou a invasão do Capitólio, realizada no último dia 6 por militantes da extrema direita e apoiadores do presidente Donald Trump, como exemplo do que pode acontecer no Brasil 2022 “se as vozes conservadoras forem silenciadas”. “Quando as pessoas se sentem sufocadas na sua capacidade de falar e ouvir, isso pode causar sérios problemas em qualquer país”, disse Araújo, de acordo com reportagem de O Globo

O chanceler também criticou a decisão do Twitter de banir Trump e milhares de seus seguidores da plataforma. “Por mais que nada justifique a invasão, nada justifica as restrições à liberdade de expressão”, disse. “Está virando uma caça às bruxas”, completou.

Araújo disse, ainda, que espera que o presidente eleito dos EUA, o democrata Joe Biden, saiba que o governo Jair Bolsonaro não irá mudar sua posição em temas como o meio ambiente, por exemplo, em função da nova administração norte-americana. 

“Esperamos que o novo governo americano perceba nosso governo pelo que ele realmente é, pelo que ele é e por representar o povo brasileiro”, ressaltou o ministro. Jair Bolsonaro é aliado de Trump e já afirmou, sem provas, que o resultado da eleição presidencial dos EUA foi fraudado. 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email