Arthur Virgílio cobra debates do PSDB em São Paulo e Manaus

Há seis meses cobrando as prévias no PSDB, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, reafirmou que os debates da disputa tucana para a vaga de candidato a eleição à presidência devem acontecer nas cidades de São Paulo e Manaus; a afirmação, feita em entrevista a rádio Eldorado, nesta terça-feira (16), contraria o governador São Paulo e presidente do PSDB e também pré-candidato, Geraldo Alckmin, que quer realizar debates em apenas duas das cinco regiões do país

Arthur Virgílio cobra debates do PSDB em São Paulo e Manaus
Arthur Virgílio cobra debates do PSDB em São Paulo e Manaus (Foto: © STRINGER Brazil / Reuters)

247 - Há seis meses cobrando as prévias no PSDB, o prefeito de Manaus e ex-senador da República, Arthur Virgílio Neto, reafirmou que os debates da disputa tucana para a vaga de candidato a eleição à presidência devem acontecer nas cidades de São Paulo e Manaus. A afirmação foi feita durante entrevista a rádio Eldorado, nesta terça-feira (16). O governador de São Paulo, presidente do PSDB e também candidato as prévias do PSDB, Geraldo Alckmin, vem afirmando que não deseja realizar debates com Arthur Virgílio nas duas capitais. 

Desde agosto do ano passado, Arthur Virgílio tem solicitado as prévias à liderança do PSDB e tem sugerido que os debates aconteçam em todas as regiões do País: “Não abro mão de Manaus, pois é minha terra e eu tenho muito que dizer da Amazônia para o Brasil, o Brasil não pode continuar perdendo essa parceria. Eu também não abro mão de São Paulo que é o maior colégio eleitoral do Brasil. Esse raciocínio de farinha pouca no meu pirão primeiro não é o Arthur, Não é correto”, disse.
 
Virgílio afirmou que, agora, Alckmin fala apenas na possibilidade de realizar dois debates, ao contrário dos cinco sugeridos em todas as regiões brasileiras. Entretanto, ele afirma que somente com os debates é possível resgatar o PSDB. “Aí vamos conseguir demonstrar o que é nosso partido, que tem sido visto como um partido qualquer, que não toma providências sobre acusações grave em relação a seus filiados e e perdeu as origens mudancistas do governo FHC”, avaliou.
 
Para ele, o PSDB tem que protagonizar as mudanças. “A verdade é que o partido tem que liderar e não ser rebocado sobre a Reforma da Previdência. A gente não sabe se pune ou não quem votar contra. O País precisa de ajuste fiscal”, disse. Ele cita a gestão de Manaus como um exemplo: “Falo do que eu faço, hoje, Manaus é triplo A”, afirmou Arthur Virgílio.
 
O prefeito manauara disse, ainda, que o PSDB não tem vida partidária, não tem posição definida sobre as reformas e que faz alianças com qualquer um. “Acho que aliança com PMDB e PP, dois partidos simbólicos no País, não valem à pena, a gente passa todo o tempo que ganha na televisão (por exemplo) se explicando dessas situações”, descreveu.
 
Para  Virgílio, não existe a possibilidade dele se desfiliar do PSDB para concorrer à eleição presidencial por outro partido. Segundo ele, quem namora outros partidos são o prefeito de São Paulo, João Dória, e Alckmin. “Se quiserem sair todos, a gente conserta o PSDB. Mas partido não serve para a gente poder andar de galho em galho”.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247