As misteriosas férias do ministro Bruno Araújo

O ministro interino das Cidades, Bruno Araújo (PSDB) se afastou do cargo, às pressas, por uma semana, para realizar misteriosa viagem ao exterior, onde teria ido tratar de "assuntos pessoais inadiáveis"; a informação é da blogueira Noeila Brito, que cita estranhas coincidências entre o período das "férias" e fatos políticos da última semana: "Bruno tirou “férias” de 3 a 8 de julho. Coincidentemente, no dia 5 de julho estourou a “Operação Black List“, da PF, que teve como alvo Jorge Alexandre, do PSDB de Pernambuco, prefeito da cidade de Camaragibe, amigo e cabo eleitoral de Araújo; afastamento de Araújo ocorre ainda no momento em que seu sócio, Marcos Meira, advogado na Lava Jato, é suspeito de tráfico de influência no STJ"

As misteriosas férias do ministro Bruno Araújo
As misteriosas férias do ministro Bruno Araújo (Foto: RENATO ARAUJOABr)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - "O ministro interino das Cidades, Bruno Araújo, apesar de ter sido agraciado com uma das Pastas mais importantes e de maior orçamento do governo interino de Michel Temer, conseguiu se destacar não por qualquer ação que tenha desenvolvido nesses quase dois meses à frente do Ministério, mas por ter precisado se afastar do cargo, às pressas, por uma semana, para realizar misteriosa viagem ao exterior, onde teria ido tratar de "assuntos pessoais inadiáveis"".

A afirmação é da blogueira Noeila Brito.

Segundo ela, "para poder autorizar o afastamento do ministro, sem exonerá-lo, já que isso acarretaria seu retorno ao mandato em prejuízo de seu suplente, a assessoria do presidente interino criou um arranjo, segundo o qual, o ministro, que sequer tem dois meses no cargo, teve direito a tirar uma semana de férias, mesmo sem ter um ano no exercício do cargo". 

Ela chama a atenção para o fato de que as "férias" do ministro "coincidem com dois episódios envolvendo pessoas bastante próximas a ele:

PUBLICIDADE

Bruno tirou “férias” de 3 a 8 de julho, autorizadas em despacho de Michel Temer. Coincidentemente, no dia 5 de julho estourou a “Operação Black List“, da Polícia Federal, que teve como alvo Jorge Alexandre, do PSDB de Pernambuco, prefeito da cidade de Camaragibe, amigo e cabo eleitoral de Araújo. Alexandre é também empresário do setor de medicamentos.

O deputado, atual ministro, é sócio ainda de Marcos Meira, advogado suspeito na Lava Jato de ser traficante de influência no Superior Tribunal de Justiça, onde seu pai, José, foi ministro até 2013 e é citado em mensagens da OAS como sendo lobista da empreiteira no STJ".

PUBLICIDADE

Leia mais aqui

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email