Assessora fantasma de Bolsonaro é demitida depois de reportagem de jornal

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL-RJ) demitiu a assessora fantasma Walderice Santos da Conceição; 'Wal' figura desde 2003 como um dos 14 funcionários do gabinete parlamentar de Bolsonaro, em Brasília, recebendo atualmente salário bruto de R$ 1.416,33; reportagem de jornal comprou um pote de açaí com a funcionária fantasma na Vila de Mambucaba, 50 km de Angra dos Reis; o acumulado dos salários irregulares nos 15 anos em que foram provisionados chega ao montante de aproximadamente R$ 264.792

Assessora fantasma de Bolsonaro é demitida depois de reportagem de jornal
Assessora fantasma de Bolsonaro é demitida depois de reportagem de jornal (Foto: Foto: Wilson Dias/ Agência Bras)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL-RJ) demitiu a assessora fantasma Walderice Santos da Conceição - a 'Wal'. Walderice figura desde 2003 como um dos 14 funcionários do gabinete parlamentar de Bolsonaro, em Brasília, recebendo atualmente salário bruto de R$ 1.416,33. Reportagem de jornal comprou um pote de açaí com a funcionária fantasma na Vila de Mambucaba, 50 km de Angra dos Reis. O acumulado dos salários irregulares nos 15 anos em que foram provisionados chega ao montante de aproximadamente R$ 264.792. 

Sobre a agora ex-funcionária fantasma, Bolsonaro afirmou que o "crime dela foi dar água para os cachorros". O ex-capitão disse: "tem dois cachorros lá e, pra não morrer, de vez em quando ela dá água pros cachorros lá, só isso. O crime dela é esse aí, é dar água pro cachorro". A demissão, supostamente a pedido da assessora, foi divulgada pelo candidato a presidente depois de o jornal Folha de S. Paulo publicar reportagem que flagrou Walderice trabalhando em sua loja de açaí na região de Angra dos Reis na hora do expediente da Câmara dos Deputados.

"Em janeiro, a Folha revelou a existência da funcionária fantasma. De acordo com pessoas da cidade, Wal, como é conhecida, também presta serviços particulares na casa de Bolsonaro, mas tem como principal atividade o comércio de açaí. Nesta segunda, a Folha voltou ao local e constatou que a funcionária continuava na venda de açaí em horário de expediente. A reportagem comprou com Walderice um açaí e um cupuaçu.

Ela afirmou que trabalha na loja, que leva seu nome, Açaí da Wal, todas as tardes, na pequena Vila Histórica de Mambucaba, a 50 km de Angra dos Reis. Walderice figura desde 2003 como um dos 14 funcionários do gabinete parlamentar de Bolsonaro, em Brasília, recebendo atualmente salário bruto de R$ 1.416,33. Bolsonaro afirmou nesta segunda que a funcionária ligou pedindo demissão, mas que seria "muito complicado", então ele a exonerou. 'Eu fico chateado até, porque ela precisa, é uma pessoa pobre', afirmou o deputado."

Leia mais aqui

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247