Associação de delegados pede a Temer saída de diretor-geral da PF

A Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF) vai encaminhar a Michel Temer um pedido de substituição do diretor-geral da corporação, Leandro Daiello; entidade atribui à gestão de Daiello a saída de delegados que integravam a força-tarefa da Lava Jato e vê risco de prejuízo às investigações com a permanência do atual chefe. A decisão de abrir uma campanha explícita para derrubar o diretor-geral – inédita na história da PF – foi aprovada em assembleia na sexta-feira passada por 72% dos participantes

Brasília - O diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello Coimbra, durante lançamento do Sistema de Gestão da Atividade de Polícia Judiciária – ePol (Wilson Dias/Agência Brasil)
Brasília - O diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello Coimbra, durante lançamento do Sistema de Gestão da Atividade de Polícia Judiciária – ePol (Wilson Dias/Agência Brasil) (Foto: Giuliana Miranda)

247 - A Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF) vai encaminhar a Michel Temer um pedido de substituição do diretor-geral da corporação, Leandro Daiello. A entidade atribui à gestão de Daiello a saída de delegados que integravam a força-tarefa da Lava Jato e vê risco de prejuízo às investigações com a permanência do atual chefe. A decisão de abrir uma campanha explícita para derrubar o diretor-geral – inédita na história da PF – foi aprovada em assembleia na sexta-feira passada por 72% dos participantes.

As informações são de reportagem de Ricardo Galhardo, Fabio Fabrini e Leonardo Augusto no Estado de S.Paulo.

"O movimento busca aproveitar a provável mudança no comando do Ministério da Justiça para trocar também a direção da PF.

Em nota, a associação afirma que, por falta de apoio da direção, 'delegados que coordenavam operações policiais foram deslocados para outras áreas e locais, devido ao esgotamento físico, mental e operacional a que são submetidos'. Diz ainda que a 'constante omissão' da Diretoria-Geral 'vem causando o enfraquecimento da instituição, pois não promove o apoio devido àqueles que se dedicam às grandes operações'.

O comunicado coincide com a saída do delegado Márcio Adriano Anselmo da Lava Jato. Considerado um dos cabeças da operação, ele foi transferido para a Corregedoria da PF no Espírito Santo, alegando justamente 'esgotamento físico e mental' depois de mais de três anos de investigações.
Anselmo é o quinto delegado da PF a deixar a Lava Jato desde o início da operação. Antes dele, foram deslocados os delegados Eduardo Mauat, Luciano Flores, Duilio Mocelin e Erika Mialik Marena – especialista em crimes financeiros e lavagem de dinheiro."

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247