Até tu, Dias Toffoli?

Em meio à maré alta de pressões do STF sobre o Congresso, ministro Dias Toffoli dá sua contribuição; despacho favorável a mandado de segurança do PSDB e do PPS ordena ao Congresso que responda ao Supremo, em 72 horas úteis, sobre conteúdo da PEC 33; emenda do deputado Nazareno Fontelles (PT-PI) submete decisões do STF ao Congresso; prazo foi estabelecido sob alegação de "natureza excepcional" da proposta

Até tu, Dias Toffoli?
Até tu, Dias Toffoli? (Foto: Nelson Jr./SCO/STF)

Débora Zampier
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Antonio Dias Toffoli deu prazo de 72 horas para a Câmara dos Deputados prestar informações sobre a proposta que pretende limitar poderes da Suprema Corte. O despacho foi dado nos mandados de segurança apresentados pelo PSDB e pelo PPS, que chegaram ontem (25) à Corte pedindo a suspensão da tramitação do projeto.

O ministro abriu prazo para manifestação antes de decidir o pedido liminarmente alegando que o caso é de "natureza excepcional". O prazo não é considerado no fim de semana, e começa a valer quando a Corte for informada de que a Câmara recebeu o despacho de Toffoli.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 33 foi apresentada pelo deputado federal Nazareno Fontelles (PT-PI). O texto foi aprovado nesta semana pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara e determina que algumas decisões do STF sejam submetidas ao Congresso Nacional. Também aumenta de seis para noves votos o quórum para declarar inválida emenda constitucional aprovada pelo Congresso.

A proposta foi duramente criticada pelos ministros do STF. Gilmar Mendes chegou a dizer que "é melhor fechar o Supremo" se o texto for aprovado pela Casa. Para o PSDB e o PPS, o texto viola um dos princípios básicos da Constituição, que é a separação entre os Poderes.

Edição: Carolina Pimentel

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247