Aumenta a pressão para Lula aceitar prisão domiciliar

O editor do Diário do Centro do Mundo, Joaquim de Carvalho, destaca a crescente pressão para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acabe em prisão domiciliar. "Para a Justiça em Curitiba, é a melhor solução. Lula, com sua biografia e liderança, é muito maior do que o cárcere da Superintendência da PF", diz; o jornalista ressalta que um ministro do STF já adiantou que "se Lula não aceitar agora, "mais tarde ele não terá nem prisão domiciliar""

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante evento em Santana do Livramento, Rio Grande do Sul 19/03/2018 REUTERS/Diego Vara
Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante evento em Santana do Livramento, Rio Grande do Sul 19/03/2018 REUTERS/Diego Vara (Foto: Paulo Emílio)

247 - O editor do Diário do Centro do Mundo, Joaquim de Carvalho, destaca a crescente pressão para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acabe em prisão domiciliar. "A coluna Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, registra que a 2a. turma do Supremo Tribunal Federal não concederia a liberdade a Lula caso a ação que pede o efeito suspensivo dele fosse a julgamento. Um ministro, em off, isto é, sem se identificar, faz o registro: a ele teria sido concedida, no máximo, prisão domiciliar", ressalta. 

Em sua análise, ele observa que "é preciso registrar também que existe hoje um jogo de pressão para que Lula aceite a prisão domiciliar, que seria meia prisão ou meia liberdade. Para a Justiça em Curitiba, é a melhor solução. Lula, com sua biografia e liderança, é muito maior do que o cárcere da Superintendência da PF". "É grande a vontade para que Lula saia dali, e a transferência para casa seria a melhor solução, até para preservar a imagem do Judiciário, cada vez mais desgastado com o episódio, inclusive internacionalmente", diz. 

Leia a íntegra da análise. 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247