Aumenta o racha no PSL: Joice chama proposta de advogados de Bolsonaro de 'amadorismo monstruoso'

"Essa questão de saída jurídica pra sair junto é de um amadorismo monstruoso. Qualquer um que conheça minimamente a legislação eleitoral sabe que o mandato pertence ao partido. Isso é mais um balão de ensaio para criar factoide político", criticou a deputada e líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP)

Dep. Joice Hasselmann (PSL/SP)
Dep. Joice Hasselmann (PSL/SP) (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), chamou de "amadorismo monstruoso" a proposta da advogada de Jair Bolsonaro, Karina Kufa, de permitir que um grupo de deputados dissidentes do PSL possa deixar o partido, mas levando o tempo de televisão e os recursos dos fundos eleitoral e partidário. A informação é do jornal O Globo.

"Essa questão de saída jurídica pra sair junto é de um amadorismo monstruoso. Qualquer um que conheça minimamente a legislação eleitoral sabe que o mandato pertence ao partido. Isso é mais um balão de ensaio para criar factoide político", criticou a deputada após sair de uma reunião da bancada do partido na Câmara, realizada nesta quarta-feira.

É a primeira vez que Joice se pronuncia sobre o assunto e a declaração acontece dias depois de Jair Bolsonaro sinalizar interesse na candidatura do apresentador José Luiz Datena à Prefeitura de São Paulo. Joice já havia dito que pretende se candidatar a vaga nas eleições do ano que vem e levou uma esnobada de Jair Bolsonaro. 

Questionada sobre o pedido auditoria externa também proposta pela advogada, Joice levantou suspeita sobre o recebimento de R$ 340 mil da advogada a título de honorários, conforme divulgou Bivar a um grupo de parlamentares.

"Eu, particularmente, não sabia. Achei muito interessante que, depois de toda essa exposição midiática, que foi praticamente um show, me veio a informação de que ela recebeu R$ 340 mil. Então eu até questionei. Esse pedido era realmente por transparência ou se era por aumento nos honorários? Achei excepcional a questão da transparência", disse Joice.

Apesar disso, Joice defende que o momento é "construir um caminho mais tranquilo" e apaziguar os ânimos. Ele defendeu a permanência de Luciano Bivar no comando da legenda enquanto não houver condenação por conduta ilícita.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247