Autor de livro sobre Cláudio Guerra critica Folha e Ustra

Autor de "Memórias de uma guerra suja", Marcelo Netto publica em site protesto contra matéria da Folha de S.Paulo "com propósito de desqualificar Claudio Guerra" (foto); segundo ele, mulher do coronel Ustra publicou trechos da matéria em blog

www.brasil247.com - Autor de livro sobre Cláudio Guerra critica Folha e Ustra
Autor de livro sobre Cláudio Guerra critica Folha e Ustra (Foto: Montagem/247)


247- O post se chama "Matéria do repórter Bernardo Mello Franco, da Folha de S.Paulo, pode ajudar a esconder crimes contra a humanidade" e resume o protesto do jornalista Marcelo Netto, autor do livro "Memórias de uma guerra suja", junto com Rogério Medeiros, contra reportagem que teria por objetivo "desqualificar" o ex-delegado do DOPS. Guerra é personagem principal de seu livro.

Leia abaixo o protesto de Netto:

Bernardo Mello Franco, repórter da Folha de S. Paulo, esteve em Vitória – no Espírito Santo – produzindo uma matéria sobre o ex-delegado Claudio Guerra.

O propósito da matéria foi desqualificar Claudio Guerra, neste momento de sua vida em que virou pastor e que, por isso, resolveu contar episódios e crimes importantes praticados na ditadura militar. Para isso o repórter foi buscar na mídia local informações apressadas, que preferiu não checar.

Seguem abaixo dois trechos da reportagem publicada na Folha de S. Paulo, que foram retirados do site da mulher do coronel Brilhante Ustra. O coronel Ustra, usando sua mulher, aproveitou-se da pressa do repórter, para tentar se defender. O coronel Ustra, todos sabem, é mundialmente acusado, em inúmeras reportagens, comprovadas em fatos e testemunhas, como um torturador impedioso na ditadura militar.

ESTES SÃO OS TRECHOS DA FOLHA DE S. PAULO, DO REPÓRTER BERNARDO MELLO FRANCO E POSTERIORMENTE USADOS PELA FAMÍLIA USTRA:

"SINÔNIMO DE BARRA-PESADA, VOLTOU A SER CITADO PELA MÍDIA LOCAL HÁ TRÊS MESES SOB SUSPEITA DE COLABORAR COM O DESVIO DE R$ 6 MILHÕES EM DÍZIMOS RECOLHIDOS PELA ASSEMBLEIA DE DEUS EM SERRA (ES), ONDE ATUAVA COMO INTEGRANTE DO CONSELHO FISCAL.

POR CAUSA DA FICHA CORRIDA, A CÚPULA DA IGREJA NO ESTADO SE RECUSA A NOMEÁ-LO PASTOR, O QUE NÃO O IMPEDE DE LIDERAR CULTOS E SE APRESENTAR COMO EXEMPLO DE RECUPERAÇÃO EM TEMPLOS NO ENTORNO DE VITÓRIA."

Estamos colocando abaixo algumas declarações da Igreja e da Polícia, que desmentem as informações da imprensa local, mas que foram propositalmente usadas pelo repórter Bernardo Mello Franco.

Esperamos que pelo menos a esposa do coronel Ustra, que há anos vem sendo acusado de prática de tortura e crimes contra a humanidade, corrija as informações, já que foi induzida ao erro pela reportagem do repórter Bernardo Mello Franco.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247